27/05/2021 às 15h36min - Atualizada em 27/05/2021 às 17h41min

Como a indústria cinematográfica americana está sobrevivendo à pandemia

Líderes do setor da indústria cinematográfica brasileira analisam o mercado americano em busca soluções para a pandemia.

DINO
http://www.andressacordeiro.com
Andressa Cordeiro é diretora de fotografia brasileira há mais de 10 anos

A pandemia teve alcance global e várias indústrias tiveram que fechar as portas ou se adaptarem rapidamente à nova realidade para se manterem em pé. No Brasil, segundo a Rádio Senado, “a indústria do cinema é uma das mais afetadas pela crise do novo coronavirus, com paralisação de produções e gravações de longa-metragens”. Ao longo de 2020, os cinemas brasileiros viram a arrecadação despencar 78% em relação ao  ano anterior, segundo levantamento da empresa de dados Comscore, feito a pedido da revista Veja.

Líderes do setor brasileiro buscam soluções para a crise. Entre eles, a premiada diretora de fotografia brasileira Andressa Cordeiro escreveu um artigo para o tradicional periódico da Associação Brasileira de Cinematografia detalhando como a indústria americana está sobrevivendo à pandemia de Covid-19.

Em seu artigo para a publicação, Andressa descreve como os grandes estúdios americanos estão usando os procedimentos preventivos para manter a indústria cinematográfica a todo o vapor. Ela destaca o trabalho que fez nas gravações da peça promocional para o novo filme da Pixar “Soul”, com Tina Fey e Samuel L. Jackson, que recentemente ganhou o Oscar de melhor animação em 2021, para melhor ilustrar essa realidade.

Entre os procedimentos destacados, Andressa conta que “A Disney é uma das empresas mais rígidas na implementação do protocolo de segurança contra a Covid-19. Fomos todos testados pelo pessoal do laboratório que a Disney contratou especialmente para seus colaboradores no dia que fomos fazer a visita de locação. O teste em si foi o mais profundo que eu já tinha feito até então, e eu fui já testada várias vezes para diferentes projetos durante 2020.”

Andressa Cordeiro vem ganhando destaque na indústria cinematográfica americana desde a premiação de seu curta “Stealth” pela Motion Picture Academy of Arts And Sciences (Oscars) em 2015. Desde então, ela participou de inúmeros projetos nacionais e internacionais que foram selecionados para os maiores festivais de cinema do mundo, como Cannes e Toronto International Film Festival. Ela tem como um de seus maiores clientes os estúdios Disney, entre outros como Netflix, Nissan, Major League Baseball e Tequila Mockingbird.

Estar em Los Angeles e trabalhar para a indústria cinematográfica significa ter experimentado a pandemia de 2020 sob uma outra perspectiva. A indústria americana se adaptou rapidamente aos protocolos de segurança e Andressa fez parte de um seleto grupo que não parou de trabalhar durante esse período, mas que viu sua rotina transformada drasticamente pelas restrições impostas. “No set os procedimentos rígidos contra a Covid-19 continuaram para a nossa segurança. Tínhamos um oficial da saúde o tempo todo nos observando pra garantir o distanciamento social. Vários dispositivos com álcool em gel estavam espalhados pelo estúdio. Três máscaras foram dadas a cada membro da equipe e eles pediam, periodicamente, para que as trocássemos. No momento em que o ator entrou no estúdio, todos colocamos também o face shield. O oficial de saúde me deu o OK para eu tirar o meu face shield no momento de câmera na mão, caso precisasse, mas felizmente não precisei.” conta Andressa.

Durante o ano de 2020, Andressa também gravou o novo longa de ficção com Vivica A. Fox e Taryn Manning, intitulado “Bobcat Moretti”, que terá filmagens adicionais no fim deste ano e estará finalizado somente no fim de 2022, e filmou as duas montagens da atual programação do tradicional teatro A Noise Within, “Ilíada” e “Alice No País das Maravilhas”, além de peças publicitárias.

No momento, a população americana vacinada está próxima de 40%, e o novo presidente americano Joe Biden projeta que 70% da população esteja com pelo menos a primeira dose da vacina até o dia 4 de julho, dia da independência americana.



Website: http://www.andressacordeiro.com
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Informações indisponíveis

0