30/03/2022 às 20h40min - Atualizada em 31/03/2022 às 00h01min

Estilo de vida saudável é fundamental para prevenir e controlar diabetes

Doença acomete mais de 13 milhões de pessoas no Brasil e pode ter diversas causas

SALA DA NOTÍCIA Rafaela Foggiato

Pixabay
Quem nunca ouviu que exagerar no açúcar pode causar diabetes? Ainda que o consumo desordenado de doces ou refrigerantes esteja, de certa forma, associado à doença, não é esse o fator decisivo para seu surgimento.

“Diabetes é uma doença crônica, não transmissível, causada pela produção insuficiente ou má absorção de insulina, hormônio produzido pelo pâncreas, que tem a função de quebrar as moléculas de glicose, transformando-as em energia no organismo”, explica Hiana Lampier Pinto, supervisora de nutrição da Lar e Saúde, uma das maiores prestadoras de serviços home care do Brasil.

De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 250 milhões de pessoas em todo o mundo têm diabetes. No Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes, mais de 13 milhões de pessoas vivem com a enfermidade, o que representa quase 7% da população do país.

A doença é classificada pelos tipos 1 e 2. O primeiro caso, que concentra entre 5% e 10% do total de diabéticos no Brasil, é caracterizado pela pouca ou nenhuma quantidade de insulina liberada para o corpo, concentrando altos níveis de glicose no sangue. Definido como hereditário, manifesta-se, em sua maior parte, nos períodos de infância e adolescência, podendo ser diagnosticado também em adultos.

O tipo 2, que ocorre em cerca de 90% das pessoas com diabetes, resulta da resistência à insulina. Pelo fato de o corpo não aproveitar adequadamente a insulina produzida – ou pela produção insuficiente –, ocorre a dificuldade de controle das taxas de glicose do sangue.

“A causa está relacionada ao sobrepeso, sedentarismo, triglicerídeos elevados, pressão alta e hábitos alimentares inadequados”, afirma Hiana.

Além desses dois tipos, destaca-se também a diabetes gestacional, quando há aumento do nível de glicose no sangue durante a gravidez, e o pré-diabetes, descrito quando os níveis de glicose no sangue estão mais altos do que o normal, mas não o suficiente para um diagnóstico da doença. Ainda assim, 50% dos pacientes que têm esse último diagnóstico desenvolvem diabetes, mesmo seguindo as orientações adequadas. Nesses casos, obesos, hipertensos e pessoas com alterações nos lipídios estão no grupo de alto risco.

Alimentação e estilo de vida como aliados

Uma vez que a diabetes é desenvolvida, não é possível reverter o quadro, pois, infelizmente, a doença não tem curso. Por outro lado, além de realizar exames regularmente, manter uma rotina saudável, sobretudo quanto à alimentação, torna-se um grande aliado na prevenção e controle da enfermidade.

“Um estilo de vida adequado reflete positivamente no tratamento do diabetes, bem como na sua prevenção”, ressalta a especialista. “O menor consumo de alimentos ricos em carboidratos simples, melhor qualidade dos alimentos ingeridos, maior controle no consumo de açúcares e a prática de exercícios físicos regulares ajudam a baixar e controlar as taxas de glicemia. Assim, com o gasto energético proporcionado pela atividade física regular, o organismo utiliza o açúcar do sangue em maior velocidade”, pontua a supervisora de nutrição da Lar e Saúde.

Entre os alimentos recomendados para consumo diário, estão as verduras e legumes – preferencialmente crus, já que, nessa condição, possuem mais fibras e contribuem para a redução dos níveis glicêmicos – e frutas, de acordo com as quantidades recomendadas.

Além disso, deve-se evitar o consumo de alimentos processados e ultraprocessados, uma vez que possuem grande quantidade de gorduras, sal, açúcar e outros componentes químicos.

“Em geral, a dieta de uma pessoa com diabetes deve ser a mesma que a de toda a população. Isso porque o fato de pessoas obesas, por exemplo, terem maior predisposição à doença não impede que aqueles que têm uma alimentação ruim, somada a outros fatores, também tenham a doença”, explica Hiana.

Desta forma, de acordo com a nutricionista, ter um hábito alimentar saudável, variado e em quantidades adequadas é capaz de suprir aquilo que o organismo precisa. Além disso, manter uma rotina de exercícios – ao menos 30 minutos por dia –, manter o peso controlado e evitar o uso de tabaco e álcool também são atitudes fundamentais para o controle e prevenção de diabetes.

Atenção aos sintomas

Os principais sintomas das diabetes são fome e sede excessiva e vontade de urinar várias vezes ao dia. Além disso, no tipo 1, perda de peso, fadiga, mudanças de humor, náuseas e vômito são alguns indícios. Já no tipo 2, formigamento nos pés e nas mãos, infecções frequentes na bexiga, rins ou pele e visão embaçada são sintomas de alerta.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp