19/05/2022 às 21h32min - Atualizada em 19/05/2022 às 21h32min

Suspeito de esquartejar rival é preso em Caçador

Crime aconteceu em abril deste ano e suspeito estava escondido em reserva indígena

Marcos Antonio - Marcos Imprensa
Ass. Imp. Polícia Civil
A Polícia Civil, por intermédio da Divisão de Investigações Criminais (DIC) de Caçador, prendeu na tarde desta quinta-feira, 19, um homem acusado de matar e esquartejar seu desafeto em abril deste ano.

Entenda o caso

Há pouco menos de um mês a Polícia Civil foi procurada e informada que em uma área de mata próxima ao kartódromo de Caçador poderia ser encontrado o corpo de uma pessoa desaparecida. A vítima seria um indivíduo do sexo masculino que recém tinha saído do presídio.

Diante da denúncia feita e com o auxílio do corpo de bombeiros voluntários, Tiro de Guerra do exército e do Instituto Geral de Perícias, os policiais civis fizeram uma varredura no local indicado e de fato localizaram uma ossada, ao que tudo indica humana.

Apenas parte dos ossos de um corpo foi encontrada, indicando que houve também o esquartejamento da vítima. Ainda não se sabe a localização do restante do corpo, que pode ter desaparecido ou pela ação de animais ou por ação da natureza, ou ainda jogado em outra região.

Com a localização dos restos mortais a divisão de investigações criminais iniciou as investigações e reuniu elementos que apontaram para o autor do crime.
A prisão

De posse das provas colhidas até o momento, a Polícia Civil representou pela prisão temporária do suspeito e o pedido obteve parecer favorável do Ministério Público e foi deferido pelo Poder Judiciário.

Na tarde desta quinta-feira, 19, uma equipe da DIC prendeu o acusado em uma reserva indígena na divisa entre os municípios de Calmon e Porto União, onde ele se escondia.
Após interrogado, o acusado foi encaminhado ao presídio de Caçador.

As investigações continuam com a colheita de novos depoimentos, enquanto se aguarda o exame de DNA da ossada encontrada para a confirmação da identidade da vítima.
A Polícia Civil pede que caso alguém tenha informações sobre o crime ou da localização do restante do corpo que denuncie através do 181 ou diretamente em uma das delegacias de polícia. É garantido o anonimato.
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp