25/05/2022 às 14h38min - Atualizada em 26/05/2022 às 00h01min

Intestino e emagrecimento: deu match?

Especialista em emagrecimento aborda como o sistema digestivo pode contribuir (ou não) com a boa forma, saúde física e mental, e dá cinco importantes dicas

SALA DA NOTÍCIA NW Comunicação
Divulgação
O que muitos não sabem é que o intestino é um órgão que tem funções autônomas, com seus mais de 500 milhões de neurônios. Ainda, 90% dos seus sinais de comunicação fazem o caminho inverso, o intestino manda a mensagem ao cérebro, ou seja, ele quem “dá ordens”.

Numerosos estudos nas últimas duas décadas demonstraram ligações entre a saúde intestinal e o sistema imunológico, humor, saúde mental, doenças autoimunes, distúrbios endócrinos, problemas de pele e câncer. – doutor Velasques | Livro: Emagrecimento da Vida Real (ed. Vital/Pandorga)

Dito isso, o doutor Márcio Velasques, em seu lançamento pela Vital (Editora Pandorga), “Emagrecimento da Vida Real”, traz algumas perspectivas da ligação do intestino com o emagrecimento. Como?

Um intestino mal regulado afeta na forma como nosso corpo absorve os nutrientes, ou mesmo como elimina os excessos. Esse quadro causará a dificuldade de regular o açúcar no sangue e causa o acúmulo de gorduras.

O especialista aponta que o funcionamento do intestino varia não só de pessoa para pessoa, como também nos momentos do dia, além de fatores externos como alimentação, estresse e uso de medicamentos. Pensando nisso, toda a dieta deve ser baseada nos objetivos e nessas variações.

O doutor Velasques separou cinco dicas importantes neste processo:

Dica 1 – Gatilhos alimentares
É extremamente importante eliminar tudo aquilo que irrita o intestino, o que nosso corpo digere mal. Geralmente, os gatilhos alimentares são compostos de leite, ovo, amendoim, marisco, peixe, trigo e soja.

Dica 2 – Ajude o impossível
As dietas de eliminação ficam inviáveis de manter na vida real, por isso, após a melhora, é necessário introduzir alimentos que façam das bactérias boas do intestino felizes. Os melhores alimentos, neste caso, são os prebióticos, que incluem carboidratos como cebola, alho, alho-poró, aspargos, maçãs e bananas (verdes). Também é preciso reintroduzir ou aumentar a variedade de grãos, como aveia, cascas de frutas, sementes, aspargos, chicória e alcachofra de Jerusalém.

Dica 3 – Repare o estrago
É necessário repor as enzimas que foram diminuídas por conta de deficiências nutricionais, ou seja, reabastecer nutrientes como B12, ferro, cálcio, magnésio e zinco é de extrema importância.

Dica 4 – Reinocular
Outro importante passo é devolver as bactérias do bem ao intestino. Isso se resolve com alimentos probióticos, ou seja, alimentos fermentados como iogurte, chucrute, kimchi e kombucha.

Dica 5 – Reequilíbrio
Mantenha, volte ou comece a fazer exercícios, isso vai ajudar o sistema digestivo. Além disso, reequilibre sua mente, para evitar depressão, estresses, falta de sono, ansiedade, entre outros fatores físicos e mentais que desestabilizam o intestino.


Sobre: Dr. Márcio Velasques, mais conhecido como Doc., graduou-se em Medicina em 2014 e desde então vem ajudando pessoas a otimizarem sua saúde física e mental. Com 6 pós-graduações e mais de 6.000 pacientes atendidos, dedica-se a ensinar que o tratamento das doenças deve focar na causa e não sintomas. Criou o método Emagrecimento da Vida Real para ajudar os mais de 90 milhões de brasileiros que hoje sofrem com obesidade e sobrepeso e não conseguem enxergar uma maneira de encaixar uma vida mais saudável em suas rotinas.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp