22/06/2021 às 14h46min - Atualizada em 23/06/2021 às 00h00min

Como cuidar da saúde bucal em tempos de pandemia

Como ir ao dentista com segurança em tempos de pandemia?

SALA DA NOTÍCIA Victor Augusto de Alencar
Pixabay
Sabemos que uma das principais formas de contágio do novo coronavírus é por meio da disseminação de gotículas de saliva. Se alguém em sua residência estiver com sintomas ou suspeita de infecção, recomendamos individualizar o uso de todos os itens, como pasta de dente, sabonete e toalha de rosto. Além disso,não guarde as escovas no mesmo espaço.

O processo de higiene bucal deve seguir algumas regras, que antes não eram tão levadas em consideração. Inicialmente, lave as mãos até a metade do pulso e entre os dedos. Reserve, pelo menos, 20 segundos para concluí-la com sucesso. Nunca é demais lembrar que lavar as mãos com frequência é uma das principais estratégias para se proteger contra o coronavírus.

Diversos estudos já mostraram que o vírus permanece vivo em superfícies, como plástico e aço, por até três dias. Portanto, diante dessa realidade, jamais coloque as mãos na boca, especialmente se estiver escovando os dentes em uma empresa.

Já em casa, busque fazer a limpeza frequente das superfícies e de objetos pessoais. Dessa forma, você aumentará a sua proteção e dos outros moradores em sua residência.

Consultas de emergência e urgência

Em períodos de pandemia, o mais indicado é agendar uma consulta ao dentista somente em situações de emergência ou urgência, de acordo com órgãos de saúde e de vigilância sanitária. Se você pretende fazer procedimentos eletivos, recomendamos adiá-los.

É fundamental deixar claro que os consultórios odontológicos não fazem atendimentos de qualquer forma. Eles acompanham as regras de biossegurança; Isso é muito importante para diminuir os riscos de infecção não só para os pacientes, mas também para os profissionais de saúde bucal.

Muita gente não sabe, mas já foram produzidos vários protocolos que autorizam os dentistas a atenderem pacientes que contém diversas patologias. Dentre as mais comuns, encontram-se: aids, hepatites, entre outras.

Na pandemia, os procedimentos estéticos e ortodônticos sem traumas, restauração de dentes assintomáticos, cirurgias eletivas para extração de dentes ou administração da periodontite devem ser alterados e remarcados somente depois da orientação do profissional.

Orientações para consultas

Os casos de emergência são classificados como aqueles em que o paciente pode ter risco de morte.
 
  • Sangramentos não controlados;
  • Traumatismos que envolvem os ossos da face, que comprometem as vias aéreas

Já os casos urgentes são aqueles em que o paciente não sofre risco de morte, mas precisam ser solucionados imediatamente, Nesses casos, encontram-se:
dor de dente aguda, fratura de dente com trauma no tecido mole bucal, tratamento odontológico prévio a procedimento médico e cáries extensas ou restaurações com problemas que estejam causando muita dor.

Nos casos acima, recomendamos agendar uma consulta com o dentista imediatamente para verificar se é possível o atendimento odontológico.

Segurança em consultórios

Se você ainda está inseguro em relação às normas de segurança, não precisa se preocupar. Os consultórios estão adotando procedimentos de proteção em relação ao novo coronavírus. O isolamento respiratório dos profissionais é feito com o apoio de máscaras cirúrgicas N95.

Os materiais dos dentistas, como avental, touca, luvas descartáveis e óculos de proteção são higienizados depois de cada atendimento. A higienização das mãos já é um procedimento que é feito com frequência pelos profissionais. 

Após descobrir como cuidar da saúde bucal em tempos de pandemia, saiba como prevenir gengivite com profissionais qualificados.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Informações indisponíveis

0