12/08/2022 às 10h24min - Atualizada em 14/08/2022 às 00h01min

Projeto Teatro em Formação usa a arte como forma de inclusão social

Na sede da Cia Teatro do Incêndio, no Bixiga, crianças e adolescentes são introduzidos no universo artístico por meio de aulas gratuitas de teatro

SALA DA NOTÍCIA MAURICIO ANTUNES BARREIRA
Gabriela Morato
Está em curso e segue até dezembro de 2022 o Teatro em Formação, com aulas gratuitas de teatro para crianças e adolescentes de 6 aos 14 anos. Cada aluno recebe uma cesta básica de alimentação por mês, material para as atividades e uniforme. O projeto prevê oito apresentações gratuitas de um espetáculo teatral criado pelos estudantes em espaços públicos, sendo as primeiras no mês de outubro, como uma mostra de processo, e em dezembro as apresentações de finalização. Idealizado pela Cooperativa de Trabalho dos Produtores Culturais do Estado de São Paulo, por meio da Lei Rouanet e com patrocínio da Tecban, o projeto usa a arte com o objetivo de fazer diferença e, quem sabe, mudar a vida de jovens e adolescentes.
 
A proposta é oferecer à população local, especialmente jovens e famílias de baixa renda, a oportunidade de ingressar em um polo dedicado à capacitação e formação do indivíduo, oferecendo as condições necessárias para que possam exercer no futuro profissão correlata. As aulas acontecem na sede da Cia Teatro do Incêndio, na rua 13 de Maio, 48, no Bixiga, e são ministradas por profissionais com experiência na área de arte-educação. Seguem até dezembro de 2022. Aulas  - 2ªs e 4ªs - 08h-11h e 2ªs e 6ªs - 13h30- 16h30. Aulas começaram em junho e seguem até dezembro 2022. São 192 horas ao total e atende 50 alunos. “O projeto é maior do que apenas uma ação do teatro, tem uma abrangência social, cultural e educacional. Estes três aspectos andam juntos e fazem com que a gente consiga formar esses jovens de um jeito muito mais pleno,” explica a atriz Gabriela Morato, uma das arte-educadoras do curso.
 
Teatro em Formação é um curso livre de Teatro. O ponto inicial é um primeiro encontro com a turma. Nada é decidido ou fechado antes de ouvir as histórias e experiências colocadas e compartilhadas coletivamente. Desta forma, pretende-se resgatar o encantamento das auto narrativas e das formas como a vida e as histórias de cada um são carregadas de conhecimentos e elementos simbólicos tão presentes quanto nas histórias acerca das culturas tradicionais, dos ancestrais e de textos icônicos da literatura brasileira. Os jovens, então, são introduzidos no universo da criação e da pesquisa por meio de vários conteúdos como jogos teatrais e de improviso, filmes, leituras, rodas de conversa, além de brincadeiras populares.
 
O espaço multifuncional - uma grande arena com plateia móvel – proporciona configurações diferentes tanto para a prática do teatro quanto para jogos que colocam o corpo em movimento, expandindo o horizonte e a visão dos alunos e também de suas famílias. Desta forma, vão sendo traçados caminhos para o desenvolvimento de competências técnicas e artísticas na arte cênica, contribuindo para o processo de inclusão de música, dança e teatro na educação de jovens em situação de vulnerabilidade social. Ao final, há a construção de um roteiro ou texto dramatúrgico, a partir do qual, pretende-se a materialização estética (cenografia, figurinos, adereços, iluminação e sonoplastia) que compõem o espetáculo.
 
Teatro do Incêndio e o Bixiga
 
O Teatro do Incêndio inaugurou a sua primeira sede na rua Santo Antônio, no Bixiga, em 2013, mudando-se para a rua da Consolação e, finalmente, para sua sede definitiva na rua 13 de Maio, 53, desenvolvendo uma forte relação com o bairro e arredores. Desde 2009, passou a investir na formação e no exercício da vocação de jovens artistas, formando atores, iluminadores e técnicos em várias funções, tornando-se autossuficiente desde a área de produção até a sonoplastia. Ainda em 2014, procurando intensificar seus laços com a cidade e o entorno do espaço, criou projetos permanentes com duas turmas anuais: “SOL-TE”, projeto para integração de crianças e adolescentes da comunidade com as artes cênicas e outras artes e “Iluminar”, curso de formação de iluminadores e técnicos de luz. Hoje, realiza treinamento permanente de onde saem seus espetáculos criados unicamente em sala de ensaio, estudando novas aplicações a técnicas conhecidas e procurando novas formas de expressão para seu repertório de trabalho.
 
Por ser uma região central e com alta densidade demográfica, o Bixiga oferece poucas opções de lazer gratuitas ao ar livre e, em geral, a população de menor renda vive em espaços de moradia reduzidos, com famílias inteiras compartilhando um cômodo apenas.  “As crianças e adolescentes não têm espaço para brincar, é tudo feito em casa, no mesmo ambiente. O projeto possibilita que eles tenham outros espaços e cultivem a ideia de brincar, do lúdico, oferecendo uma formação mais completa, trabalhando habilidades como velocidade, estratégia e equilíbrio, mas também criatividade, improvisação e raciocínio lógico. Quando a criança vai para a escola, tem condições de ter um desenvolvimento melhor, porque começa a trabalhar todas essas atividades que a escola, muitas vezes, não trabalha”, conclui Gabriela Morato.
 
Sobre os atores que ministram o curso
 
Gabriela Morato - Multiartista, Gabriela Morato, integrante do Núcleo Artístico da Cia. Teatro do Incêndio desde 2012 – 9 anos - transita dentro da linguagem cênica Teatro, entre a atuação, figurino, concepção de maquiagem e de cenografia, além de atuar como diretora de produção da Cia. e da sede do grupo. Sua formação vem principalmente da prática e vivência proporcionada pelo teatro de grupo em contato e diálogo constante com outras cias e a cena teatral política e artística da Cidade de São Paulo. É pedagoga e licencianda em Teatro pela Universidade Federal da Bahia.
 
André Souza - Integrou a Companhia Teatro do Incêndio, na qual desenvolveu atividades de ator, aderecista e oficineiro de teatro do projeto SOL-TE de oficinas livres para crianças e adolescentes. Como membro desta Cia, participou dos espetáculos: “O Santo Dialético” (2016 e 2019); “A Gente Submersa” (2017); “Rebelião - O coro de todos os santos” (2018); e “Um povo Omitido” (2018), todos com dramaturgia e direção de Marcelo Marcus Fonseca. Em 2020 fundou a Cia. DezAfio, com a qual desenvolveu apresentações de Teatro de rua, como o espetáculo “LiberteCidade”.

Sobre o projeto Teatro em Formação
 
A Cooperativa dos Produtores Culturais do Estado de São Paulo – COOPCESP está presente em diversos municípios do Estado de São Paulo e a cada dia fortalece a sua atuação com a colaboração de cooperados de importante, renomada e extensa atividade cultural nos mais diversos segmentos. Seu objetivo é reunir, potencializar e ampliar as ações de seus sócios, fortalecer a rede de agentes, fazedores, fornecedores da cadeira cultural e produtores, além de divulgar a produção, pesquisa e iniciativas de seus sócios cooperados. Está presente nos locais mais necessários, impactando e gerando valor. Desde sua criação, através dos seus cooperados, já realizou projetos culturais nos mais variados segmentos, tais como, Artes Cênicas, Artes Visuais, Humanidades, Formação, Literatura, Audiovisual e Dança.
 
Teatro do Incêndio -  Rua 13 de maio n° 48 Bairro – Bixiga.  Aulas  - de 2ª e 4ª - 08h-11h e 2ª e 6ª- 13h30- 16h30. Aulas de 13 de junho até dezembro 2022. São 192 horas ao total e atende 50 alunos.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp