22/06/2021 às 16h07min - Atualizada em 23/06/2021 às 00h00min

Tendo como base o Projeto Cervantes Solidário, alunos da escola criam campanha que arrecada R$ 21 mil em bens doados à Gerando Falcões

Projeto Cervantes Solidário mantém vínculo entre alunos do colégio e população carente durante a pandemia

SALA DA NOTÍCIA Marco Antonio Barone Morales
Atividades voltadas à transformação cultural, esportiva e social de jovens são ajustadas
à atual realidade. Baseado no programa, grupo de alunos cria ação de geram mais de
R$ 21 mil em bens de consumo para ONG Gerando Falcões


A pandemia alterou a rotina da comunidade escolar em todo o mundo e no Colégio Miguel de Cervantes, no Morumbi, não foi diferente. Mas, além desse desafio, havia outro a ser superado: a continuidade do Projeto Social Cervantes Solidário, iniciativa nascida em 2009 e que tem como missão levar esperança e apresentar novas perspectivas a crianças e jovens em situação de vulnerabilidade e/ou exclusão social na região próxima à escola. Os projetos, realizados por meio de parceria com instituições de ensino e entidades de auxílio a esse público, precisavam continuar de alguma maneira.
 “Com a pandemia, precisamos aprender novas maneiras de atingir nosso público e a realidade do projeto precisou ser adaptada. Muitas das atividades foram suspensas, pois eram presenciais e as escolas parceiras estavam fechadas. Conseguimos transformar algumas delas em online. Não queríamos que esses jovens ficassem desassistidos, por isso encontramos novas maneiras de chegar até eles”, explica Luciano Alves Onça, professor e coordenador do projeto.
O Cervantes Solidário, antes do isolamento social, registrava por volta de mil crianças e adolescentes atendidos por ano, fruto do trabalho consistente e essencial à filosofia humanista da escola, que aposta no desenvolvimento da dignidade, das aspirações e das capacidades desses jovens. De acordo com Luciano Onça, aos poucos muitas dessas atividades foram retomadas em alguns dos parceiros, como as atividades físicas, incentivo à leitura e o curso de espanhol, totalmente gratuito, incluindo material didático.
“Temos capacidade de atender cem alunos no curso de espanhol presencialmente, aqui na escola, mas precisamos fazer adaptações em razão das dificuldades de muitos dos alunos da rede pública de ensino de acesso à internet. Ainda assim, de um total de 60 vagas que abrimos, o curso atende atualmente 56 alunos”, conta.
Segundo o coordenador, quando ainda era possível, antes da pandemia, o Cervantes Solidário promovia torneios, olimpíadas e festivais nas dependências das instituições assistidas e em parceria com o Centro de Práticas Esportivas da USP (Cepeusp), bem como o Circuito Esportivo Solidário, idealizado em parceria com Colmeia, Gol de Letra e Prodhe. A intenção é voltar com essas ações assim que o cenário mudar.
Geraldo Falcões - Mais do que incentivar a participação de alunos da escola, um dos objetivos do Cervantes Solidário é criar um política de comprometimento com a sociedade, incutindo ideais solidários em cada um dos participantes. Assim, o programa procura dar orientações sobre como ter uma experiência prática com a solidariedade.
Dessa forma, como um círculo virtuoso, o Cervantes Solidário procura estar sempre atuante, incentivando e/ou orientando os alunos a serem criarem condições de ajudar o próximo por meio de ações sociais. Assim foi com alunos do Ensino Médio. O Cervantes tem um programa para que estudantes brasileiros possam estudar na Espanha e em outros países. Uma das exigências do Bacharelado Internacional (IB), programa de acesso a diplomas no exterior, é que os alunos criem projetos para o CAS (Criatividade, Atividade e Solidariedade) - disciplina é essencial no currículo dos estudantes que optarem pelo Diploma do Bacharelado Internacional.
Um grupo de cinco alunos do Ensino Médio criou uma campanha de doação online de bens de consumo (roupas, sapatos, eletrônicos, eletrodomésticos e brinquedos), por meio das redes sociais, que arrecadou mais de mil itens, o equivalente a um caminhão médio de peças. Essas peças foram doadas à ONG Gerando Falcões, de Poá (SP), que colocará esse material para ser comercializado em seu Bazar Social – hoje, um dos principais meios de arrecadação da entidade. Esses itens equivalerem a mais de R$ 21 mil e foram repassados à ONG presidida por Edu Lyra e que atende cerca de 700 favelas.
Antes disso, no ano passado, alguns pais e alunos do Cervantes, também com incentivo e orientação do Cervantes Solidário, participaram ativamente de campanha que buscava recursos para financiar o programa Bolsa Digital, da Gerando Falcões, que levaria ensino remoto a favelas e estudantes de periferia, por meio de um aplicativo. Para isso, a ONG precisava de recursos para criar a tecnologia e fornecer celulares e chips. No total, foram arrecadados mais de R$ 121 mil reais com grande participação dos alunos que, entre outras ações, ajudaram a digitalizar processos, criar planilhas online e contatam antigos doadores.
Transcendendo a experiência educacional - O Projeto Cervantes Solidário faz parte do Plano de Ação Social da Associação Colégio Espanhol de São Paulo, entidade mantenedora do Colégio Miguel de Cervantes, e está fundamentado nos princípios que norteiam sua missão institucional. Foi concebido com base na iniciativa da Associação em transcender a experiência educacional do colégio e promover atividades educacionais, culturais, esportivas e recreativas.
Criado em 2009, atende nove instituições, entre Escolas Municipais de Educação Infantil (EMEIs), Escolas Municipais de Ensino Fundamental (EMEFs), Centro para Crianças e Adolescentes (CCA), orfanatos, Hospital Darcy Vargas, centros de juventude e Organizações não Governamentais (ONGs), entre outras. Muitas delas tiveram as atividades suspensas em razão da proibição de aulas presenciais.
Entre as atividades oferecidas aos parceiros estão musicalização, esportes, jogos e brincadeiras, dança espanhola, oficinas de leitura, atividades culturais, acompanhamento e reforço escolar, apoio à escolarização, formação profissional e de jovens multiplicadores. Essas ações são promovidas pelos professores, com colaboração das equipes pedagógicas e participação de alunos do Cervantes e suas famílias.
O Cervantes Solidário desenvolve inúmeras ações e campanhas nas comunidades e instituições em seu entorno. São campanhas de arrecadação de brinquedos, agasalhos, alimentos, produtos de higiene e limpeza, que estimulam a sociabilização e cooperação e despertam a consciência da necessidade de atuação solidária de alunos e seus familiares.
“Não é só uma ação interna. Nosso objetivo é criar uma consciência de coletividade em nosso corpo discente e suas famílias. Queremos levar um novo olhar sobre e para o mundo. Fazer com que o jovem perceba que há uma grande transformação acontecendo nele e ao seu redor – e tire o melhor proveito disso. O trabalho que realizamos é para ajudar a criar um projeto de vida e uma vontade de crescer pessoal e culturalmente. São impactos que começam hoje, mas que terão reflexo a longo prazo”, conclui o coordenador.
 
Instituições parceiras do Projeto Social Cervantes Solidário
- EMEF Prof. Alípio Correa Neto (Jardim Taboão)  
- EMEI Prof. Antonio Carlos Pacheco (Jardim Taboão)
- EMEI Roberto Burle Marx (Paraíso do Morumbi)
- CCA Lar Jesus Maria José (Jardim Taboão)
- CCA São Mateus (Jardim Jaqueline)
Atividades esportivas, música, dança espanhola, arte, leitura e reforço escolar

- Cáritas Santa Suzana (Vila Santa Suzana)
Capacitação profissional aos Jovens Aprendizes

- Hospital Darcy Vargas (Morumbi)
Oficinas de instrumentos e musicalização para as crianças com síndrome de Down e desenvolvimento do projeto TOCA (Tocar, Ouvir, Cantar e Amar), que leva alegria, por meio de atividades recreativas e musicais às crianças internadas com diferentes patologias.

- Casa da Paz (Embu Guaçu)
Formação de educadores

- Biblioteca Pró-Saber (Paraisópolis)
Apoio financeiro e de professores

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Informações indisponíveis

0