22/06/2021 às 11h28min - Atualizada em 23/06/2021 às 00h00min

Como é o curso de administração de empresas?

O que se aprende e para que serve um curso de administração de empresas?

SALA DA NOTÍCIA Victor Augusto de Alencar
Freepik

Hoje em dia todo mundo sabe que, sem uma formação superior após o Ensino Médio, dificilmente uma pessoa vai conseguir se dar bem no mercado de trabalho. Nessas horas, uma das faculdades mais procuradas é a de administração de empresas.

Ao mesmo tempo, precisamos nos lembrar de que o Brasil tem um acesso ao nível superior que está abaixo dos demais países do mundo. No caso, entre jovens de 18 e 24 anos de idade, apenas 32% deles chegam a se matricular.

Se lembrarmos que temos oito milhões e meio de pessoas nessa idade, veremos que quase três milhões de jovens estão fora dos muros da faculdade, lutando em um mercado de trabalho cada dia mais desafiador e competitivo.

Os dados da pesquisa são do próprio IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em parceria com a SIS, que é a Síntese de Indicadores Sociais.

Agora pensemos, se o sonho de um jovem for entrar em uma empresa de gestão empresarial, por exemplo, certamente ele só vai crescer na hierarquia se conseguir ingressar em algum curso superior na área, sobretudo de Administração de Empresas.

Por isso decidimos escrever este artigo, trazendo aqui detalhes que demonstram como exatamente esse curso superior funciona, do que se tratam suas propostas centrais e, claro, como é sua relação com o mercado de trabalho atual.

Lembrando que, dependendo da situação financeira, uma saída para o jovem brasileiro é a faculdade da rede pública.

Ainda conforme os órgãos de pesquisa citados, 75% dos jovens estudam em universidades particulares, ou seja, 25% deles conseguiram se inserir na rede pública, o que continua sendo um recurso para quem não tem outra saída.

Essas instituições de pesquisa são confiáveis, pois têm modos bem assertivos de fazer levantamentos, que vão desde censos e pesquisa de rua, até uma rede de negócios, como uma consultoria telefonia empresarial, que pode trazer vários subsídios.

Então, se você quer entender a fundo como é o curso de Administração de Empresas, quais são as matérias abordadas e, claro, as vantagens e desvantagens para quem deseja seguir nesta área, basta seguir adiante na leitura.

De onde veio essa Faculdade?

As faculdades enquanto instituição de ensino datam da Idade Média, e foram criadas pela Igreja Católica, que absorveu a cultura greco-romano e deu alguns passos além, como criar o diploma e disseminar a noção de “universidade”.

Já a noção de Administração Corporativa surgiu 5 mil anos antes de Cristo, já na Suméria, como modo de administrar e racionalizar a vida do povo, sobretudo no sentido político.

Com o advento da Revolução Industrial, as empresas e marcas começaram a evoluir cada vez mais, trazendo a emancipação da classe financeira e a necessidade da Administração de Empresas.

Afinal, hoje o negócio de uma empresa de trabalho temporário pode crescer tanto que a corporação chegue a se internacionalizar, criando uma realidade extremamente complexa em termos de relações humanas e controle de operação e informação.

De fato, há negócios e marcas espalhados pelo mundo todo, com sedes em centenas de países e que contam dez, vinte e às vezes mais de trinta mil funcionários.

Tudo isso deixa bastante claro não apenas como a Administração de Empresas surge, mas também porque o profissional dessa área vai poder atuar em setores distintos. E por que ela é dividida em várias disciplinas, o que ficará ainda mais claro adiante.

A estrutura básica do Curso

É comum no universo dos universitários surgirem dúvidas mais técnicas, como sobre a faculdade ser em formato de bacharelado ou licenciatura.

No primeiro caso, o aluno será habilitado para exercer a função na prática, como no mercado de trabalho ou em outras instituições. No segundo caso, trata-se da habilitação para ensinar tudo aquilo que ele aprendeu no decorrer dos estudos.

Por exemplo, quem fez licenciatura em TI (Tecnologia da Informação), dificilmente desenvolveria ou venderia um software de gestão empresarial, mas facilmente poderia fazer parte de um grupo de pesquisas na área, em ambiente acadêmico.

Tanto a licenciatura quanto o bacharelado em Administração de Empresas costumam durar oito semestres (podendo variar um pouco conforme a instituição de ensino).

Mas é interessante lembrar que hoje em dia também é possível se formar na área como tecnólogo. Assim basta fazer uma formação em Superior Tecnológico, de dois anos de duração, ou mesmo um ensino médio já com chancela técnica.

O alcance da Administração

O escopo histórico detalhado acima demonstra como o administrador é um profissional muito mais completo do que alguns podem imaginar, que supera e muito o papel de “fazer contas” e saber se “os números estão em dia”.

Na verdade, a contabilidade e as finanças são apenas um aspecto da administração, tanto que existem faculdades e cursos superiores específicos para esses setores mais nichados.

Aliás, a própria tecnologia já faz muito disso, por meio de frentes como a de um sistema de controle financeiro e estoque.

Já o administrador formado tem uma visão muito mais holística sobre uma determinada empresa ou corporação. No caso do mercado de trabalho, ele vai poder atuar em áreas como:

  • Produção e consumo;
  • Informática e automação;
  • Serviços e produtos;
  • Finanças e orçamentos;
  • Recursos Humanos;
  • Tecnologias e inovação.

Aliás, não apenas o profissional pode atuar nesses setores, como é desejável que ele tenha uma boa noção em todos eles, já que hoje as empresas vivem a era das culturas organizacionais, que justamente exigem essa visão holística.

Tanto que na prática do curso superior serão frequentadas várias disciplinas transversais, que vão além da economia, matemática e estatísticas, tais como Psicologia, Filosofia e até Política.

Por dentro das suas disciplinas

Certamente as universidades, que são símbolo do “pensamento universal”, ou seja, da liberdade científica de questionar tudo, podem montar seus currículos com uma liberdade maior do que costumamos imaginar.

Por isso mesmo, não é incomum encontrar diferenças salientes entre o que uma ou outra universidade apresenta em termos de Administração de Empresas.

Por exemplo, até que ponto a parte de finanças deve falar sobre assessoria de contabilidade? O tema não é intrínseco às finanças, mas hoje em dia é muito comum, então poderia ser bom trazer essa realidade para o universo do aluno.

Deste modo, há um consenso sobre as disciplinas básicas que não podem faltar, embora os enfoques entre elas costumem mudar drasticamente. Trata-se das seguintes:

  • Economia e Contabilidade;
  • Direito Empresarial e Tributário;
  • Gestão de Preços e de Custos;
  • Matemática Financeira;
  • Estatísticas e Probabilidades;
  • Logística e Cadeias de Suprimento;
  • Publicidade e Marketing;
  • Gestão de Talentos e Pessoas.

Sem falar em algum domínio técnico, como Teoria do Conhecimento, que pode ajudar o futuro profissional da área a aplicar seus conhecimentos em casos específicos.

E algum domínio prático do setor, como estudo do Mercado de Capitais e da Bolsa de Valores, que transforma toda a parte teórica em prática de modo bastante exigente.

Sobre mercado de trabalho

Se tem algo que qualquer corporação necessita é uma boa gestão administrativa. Quando se trata de uma empresa, que lida com um mercado cheio de concorrentes e clientes exigentes, isso parece se tornar ainda mais desafiador.

Por isso mesmo, não só existem várias áreas práticas em que o profissional de Administração de Empresas pode atuar, como elas crescem frequentemente.

Algumas mais antigas podem incluir consultoria, auditoria, planejamento estratégico e até controle de produção. Sendo a primeira delas a mais requisitada, seja para algo como abertura de empresa em São Paulo, seja para negócios já consolidados.

Outros setores mais modernos que têm crescido visivelmente são os de Gestão Ambiental, de Comércio Exterior, de Gestão da Informação e, claro, de Pesquisa e Inteligência de Mercado.

Portanto, formar-se com vistas a qualquer uma dessas áreas é, sem dúvida, apostar em algo bastante sustentável e promissor.

Vantagens e desvantagens

Agora já ficou claro que as vantagens do curso de Administração de Empresas não são poucas, o que aliás explica o sucesso desse curso superior, que é um dos mais clássicos.

Ainda assim, podemos frisar outros benefícios, como o fato de que você contará com uma formação bastante ampla. Outra vantagem é a alta flexibilidade que isso permite na carreira de qualquer um.

Lembrando que é muito comum uma pessoa acabar a faculdade, pegar o diploma e não saber o que exatamente fazer com ele. 

Mas se você pode atuar em áreas que vão desde linhas de crédito para empresas até gestão de marketing, de pessoas ou de logística, isso muda tudo.

Montar o próprio negócio é outra vantagem que poderíamos citar, dentre tantas outras. Uma desvantagem, se pudermos falar em alguma, é que a própria amplitude de possibilidades pode estagnar algumas pessoas.

Isso não é um problema da disciplina em si, mas leve isso em conta desde o início, que certamente assim você já sai na frente da maioria, transformando até a desvantagem em benefício.

Conclusão

Tudo o que dissemos mostra que o curso superior de Administração de Empresas é bastante promissor, e tem suas razões para ser um dos mais requisitados.

Não é todo dia que podemos encontrar uma disciplina tão ampla e com tantas sinergias em relação ao mercado atual. Seguindo os conceitos e conselhos dados aqui, certamente você vai transformar tudo isso em algo que poderá mudar sua vida.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Informações indisponíveis

0