24/06/2021 às 15h25min - Atualizada em 25/06/2021 às 00h00min

Conheça a “Coronafobia”: o medo excessivo de pegar Covid

Especialista da Anhanguera explica o problema que tem relação ao excesso de ansiedade

SALA DA NOTÍCIA Rafael Nunes da Silva
Foto - Reprodução/Pxhere
Desde  o primeiro semestre de 2020 o mundo vive uma pandemia que já fez milhares de vítimas fatais e deixou sequelas em inúmeras pessoas. Com um cenário de tantas incertezas sobre a doença e a proximidade cada vez maior do vírus , o medo de se infectar se torna mais presente nas pessoas, podendo essas, desenvolver, assim, ansiedade em excesso, que é chamado pelos estudiosos da área da psicologia como “Coronafobia”.
O nome, sugerido pelos pesquisadores, se deu pela situação atual da pandemia que estamos enfrentando. O termo “Coronafobia” foi denominado após estudos realizados nos Estados Unidos com 500 pessoas, onde foi analisado que os casos de ansiedade e depressão estavam relacionados à Covid-19.

”Todos devem se cuidar e seguir corretamente as orientações dos órgãos competentes de saúde, sobre as formas de prevenção contra a Covid-19, mas o medo em excesso e a preocupação e a ansiedade em se infectar, podem gerar impactos negativos na saúde mental dos indivíduos. Os medos mais comuns são: o da morte ou de ficar muito doente com graves sequelas e isso é caracterizado , como sugerem os pesquisadores de Coronafobia”, explica Rogério Bosso, coordenador do curso e do Serviço Escola de psicologia da Anhanguera.

O professor explica que o problema pode aparecer em pessoas sem transtornos psíquicos, mas tende a surgir com maior intensidade em quem tem síndrome do pânico, transtornos obsessivos, comportamentos de acumulação e idealizações suicidas, pois essas pessoas são mais suscetíveis a determinadas situações que geram ansiedade e outros sofrimentos psíquicos.

“Além de problemas comportamentais, no excesso de ansiedade, caracterizado como coronafobia pelos pesquisadores, as pessoas podem apresentar problemas relacionados ao sono, dificuldades de respirar, coração acelerado e palpitações. Por isso é de extrema importância o acompanhamento com um psicólogo e psiquiatra, pois em muitos casos é necessário o uso de medicamentos combinados com a psicoterapia”.

O especialista dá algumas dicas para evitar gatilhos que levem ao aumento da ansiedade:
  • Avaliar se sozinho você consegue controlar sua ansiedade, medo ou preocupação;
 
  • Observar seus comportamentos, e identificar se existe certo excesso (frequência alta de alguns comportamentos), como por exemplo: procura em excesso por atendimento médico na suspeita de estar doente, medo em excesso de tocar superfícies, paranoia em lavar as mãos e passar álcool a todo instante, sem ter motivo para essa intervenção , passar a maior parte do tempo consumindo informações negativas sobre a doença. Nesses casos, é hora de procurar por ajuda profissional;
 
  • Faça uma autoanálise cuidadosa dos sintomas presentes e pergunte-se: você já apresentava esses sintomas antes da pandemia? Em caso positivo, porque eles não podem ser os mesmos sintomas, ao invés de uma nova sugestão.
 
  • Promover ações de bem-estar que geram cuidados para si, sempre respeitando as orientações dos órgãos competentes de saúde, como: a prática diária ou semanal de exercícios físicos, alimentação saudável, manter conexão, por vídeo chamadas, com as pessoas que você ama. Estamos no clima das festas juninas, que tal uma virtual com os amigos? Mesmo vivendo uma pandemia, conseguimos estar perto de quem queremos bem, o uso da tecnologia pode ser benéfico, como fazer vídeos chamadas, conversas pelas redes sociais, entre outros meios que possibilitem acessos a um grupo social e de apoio. Mas, para aquelas que não costumam usar muito ferramentas tecnológicas ou não dispõem de condição econômica para, é importante analisar o que te faz bem, o que traz calma, paz e esperança, cultivar esses sentimentos pode evitar alguns gatilhos emocionais.

O cuidado é essencial para nosso bem-estar, mas até mesmo o cuidado precisa de seus limites para não gerar novos problemas, principalmente no campo da saúde mental.


Sobre a Anhanguera
Fundada em 1994, a Anhanguera já transformou a vida de mais de um milhão de alunos, oferecendo educação de qualidade e conteúdo compatível com o mercado de trabalho em seus cursos de graduação, pós-graduação e extensão, presenciais ou a distância. Presente em todos os estados brasileiros, a Anhanguera presta inúmeros serviços gratuitos à população por meio das Clínicas-Escola na área de Saúde e Núcleos de Práticas Jurídicas, locais em que os acadêmicos desenvolvem os estudos práticos. Focada na excelência da integração entre ensino, pesquisa e extensão, a Anhanguera oferece formação de qualidade e tem em seu DNA a preocupação em compartilhar o conhecimento com a sociedade também por meio de projetos e ações sociais. Em 2014, a instituição passou a integrar a Kroton. Para mais informações, acesse: anhanguera.comblog.anhanguera.com.


Sobre a Kroton  
 
A Kroton nasceu com a missão de transformar a vida das pessoas por meio da educação, compartilhando o conhecimento que forma cidadãos e gera oportunidades no mercado de trabalho. Parte da holding Cogna Educação, uma companhia brasileira de capital aberto dentre as principais organizações educacionais do mundo, a Kroton leva educação de qualidade a mais de 817 mil estudantes do ensino superior em todo o País. Presente em 1.221 municípios, a instituição conta com 131 unidades próprias, sob as marcas Anhanguera, Fama, Pitágoras, Unic, Uniderp, Unime e Unopar e é, há mais de 20 anos, pioneira no ensino à distância no Brasil. A Kroton possui a maior operação de polos de EAD no país, com 1.673 unidades parceiras, e oferece no ambiente digital 100% dos cursos existentes na modalidade presencial. Com a transmissão de mais de 1.000 horas de aulas a cada mês em ambientes virtuais, a Kroton trabalha para oferecer sempre a melhor experiência aos alunos, apoiando sua jornada de formação profissional para que possam alcançar seus objetivos e sonhos. Para mais informações acesse: www.kroton.com.br

Assessoria de Imprensa | Ideal HKS 
Atendimento PR: Rafael Nunes
E-mail: rafael.nunes@idealhks.com 
Telefone: (13) 98200-3847

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Informações indisponíveis

0