28/06/2021 às 10h48min - Atualizada em 28/06/2021 às 14h30min

O que é economia criativa?

Quais são as vantagens da economia criativa?

SALA DA NOTÍCIA Victor Augusto de Alencar
Freepik

A economia criativa é um dos principais motes que guiam o norte do mercado nos dias atuais, sendo conceituada como uma fonte de alavancar diferentes setores da economia, tendo como principal guia o poder da criatividade e de ideais que saem da caixa.

Assim, podemos entender que pessoas que trabalham em setores onde existe a concepção de uma ideia de criatividade, podem ser consideradas membros desse tipo de economia.

Pode parecer, pensando um pouco, que tudo o que está ao nosso redor é movido por esse viés, já que quase sempre estamos consumindo soluções para nossas vidas.

Mas o que de fato diferencia essa concepção é a forma como uma ideia é capaz de mover diferentes setores e alcançar trabalhadores de diferentes áreas, em apenas um produto.

Quais as vantagens dessa forma de economia?

As vantagens da economia criativa são a base para que sua utilização seja cada vez mais enfática no mercado, proporcionando chances de crescimento e renovação para empresas dos mais variados ramos de atuação, pensando então na melhoria do setor empreendedor.

Assim, entenderemos abaixo o quanto é importante colocar essa nova realidade em nosso dia a dia, e porque mais lideranças devem começar a utilizá-la em seus projetos:

Renovação do mercado

No mercado tradicional, em especial quando falamos sobre a economia, a base são métodos de trabalho, criação e venda baseados em noções antigas, onde a criatividade e a interpretação dos novos comportamentos humanos não era uma grande prioridade.

Quando falamos sobre a economia criativa, podemos ver uma maior renovação nesse sentido, trazendo projetos e oportunidades consideradas inovadoras e rentáveis.

O mais interessante é que isso pode ser introduzido nas mais diferentes áreas, como em instalação de direção hidraulica, onde o pensamento vai além das necessidades básicas, trazendo chances para os consumidores agregarem algo de diferente em suas rotinas.

Diversidade de atuações

A economia criativa pode ser utilizada nos mais variados ramos de atuação, o que traz para o mercado uma diversificação necessária para que os consumidores tenham mais opções.

Mas além disso, os próprios produtores podem ter um caminho diferente para trabalharem suas criações, como um dono de um buffet self service quente e frio que transforma uma ida em um restaurante em uma experiência nos ares de uma cidade, inovando na sua área.

Essa é uma forma importante de atingir diferentes setores da economia e fazer com que eles caminhem para a rentabilidade, sendo uma forma importante de mudança empresarial.

Movimentação em meio à crise

Provavelmente você já ouviu falar que, em meio à crise, é que a criatividade e as ideias fora da caixa conseguem trazer à tona soluções essenciais para a sobrevivência de um negócio. Na economia criativa essa é uma característica essencial de trabalho e de rentabilidade.

Por exemplo, se o dono de uma loja que vende itens de papelaria não estiver indo bem, ele pode pensar em alternativas para formar um nicho de vendas de caixa em acrílico.

Pode parecer fora do comum, mas encontrar uma solução é algo essencial em meio às situações econômicas que atingem uma população, podendo utilizar uma renda e investimento que poderia ficar parado, mas que agora dá asas a uma nova ideia de venda.

Adaptação melhor realizada

A economia criativa pode estar nos mais diferentes setores da economia e do mercado,  fazendo com que os empresários de vários ramos se adaptem à uma nova realidade.

É o caso de um empreendedor do ramo de exaustor para espaço confinado, que por meio da economia criativa consegue se adaptar com maior facilidade às mudanças de mercado, e oferecer seus produtos com base em soluções para os novos tempos em que vivemos.

Essa, de todas as vantagens, é uma das mais essenciais, pois permite aos ramos de consumo e trabalho uma utilização de sua mão de obra em diferentes sentidos de trabalho.

Impactos na cultura de consumo

Com os avanços da tecnologia e a mudança da sociedade, nada mais inteligente do que ter um mercado que acompanha essas nuances para proporcionar um novo viés, impactando na formação de uma nova cultura, cada vez mais engajada com a parte criativa.

Não é à toa que hoje em dia a economia criativa conseguiu impactar setores mais tradicionais de trabalho, como furação de poços artesianos, dando um novo ar a eles.

E por meio desse trabalho, cada vez mais consumidores vão se adequando e direcionando seus consumos para empresas que pensam e trabalham dessa forma, sendo capazes de tornar seus negócios, mesmo pequenos, os mais conhecidos e concorridos no mercado.

Setores onde a economia criativa mais atua

Pode não parecer, e você deve não ter notado, mas a economia criativa está em muitos ambientes do nosso cotidiano, apresentando formatos de consumo cada vez mais comuns.

No tópico a seguir vamos abordar alguns pontos de importância em diferentes áreas de mercado e da economia, mostrando que essa forma de pensar e conceber criações está mais em nosso cotidiano do que imaginávamos.

Audiovisual

O audiovisual tem uma ligação antiga com a criatividade, e com a forma como consegue criar em meio a poucos recursos financeiros e iniciativas. Hoje em dia podemos ver inúmeras produções que impulsionam o trabalho de muitos trabalhadores indiretamente.

É o caso de um documentário que retrata novas formas de trabalho, ou um filme que aborda uma história real sobre uma nova ideia de negócio, impactando outras pessoas.

Com a distribuição desses materiais, seja na internet ou em meio físico, como em cinemas e espaços de exibição de audiovisual, os filmes e produções artísticas também impactam diretamente produtores locais, como uma empresa de envasadora de sorvete.

Tecnologia

A tecnologia vem sendo uma das principais frentes de atuação da economia criativa, despertando as maiores inovações que conhecemos nos últimos tempos, como:

  • Celulares;
  • Computadores;
  • Instrumentos tecnológicos para casa;
  • Aplicativos;
  • Máquinas hospitalares.

Isso acontece porque a base dessas produções acaba tendo um viés maior sobre o formato de necessidade do ser humano, entendendo seus comportamentos e soluções que eles desejam, e colocando em prática para facilitar e melhorar a vivência cotidiana.

É como o caso de uma empresa de monitoramento de alarme, que acaba modificando seu trabalho para atuar como solucionadora de problemas em hospitais e órgãos públicos.

Cultura

Assim como no caso do audiovisual, que também pode ser incluído nessa vertente, a cultura tem uma ligação tradicional com a criatividade, a inovação e criação de oportunidades a partir de ideias, sempre com um foco mercadológico para sobrevivência.

Por exemplo, em museus, a economia criativa pode trazer trabalhos e movimentações econômicas, apenas por meio de uma nova exibição, uma apresentação de uma peça.

Dessa forma, podemos ter uma conexão maior com uma possibilidade de aprendizado cultural, ao mesmo tempo que entendemos que, como integrantes do público de espaços culturais, também estamos provendo uma participação na movimentação local econômica.

Moda

A moda, assim como a cultura de uma sociedade, é algo que muda ao longo do tempo, sendo então um viés interessante para o trabalho da economia criativa e suas vertentes.

Desde sempre a criação de uma roupa ou uma feira de vendas para marcas pequenas é considerada uma maneira de impulsionar o mercado. Porém, dentro do viés criativo, essas produções acabam tendo um resultado ainda maior com empresas atreladas a elas.

É o caso de uma marca que faz uma parceria com artesãs de um município do nordeste, agregando os materiais que são moldados pela empresa e impulsionando o mercado local.

Arquitetura

Na arquitetura e em todas as áreas relacionadas à construção ou à decoração, acontece uma forte adequação à economia criativa, principalmente quando se trata sobre projetos que agregam desde tecnologia até projetos de marcenaria feitos por um grupo de jovens.

Por exemplo, dentro da construção de uma casa podemos ver a participação de empresas de porta de enrolar preço e ao mesmo tempo de artistas de uma feira de rua da cidade.

O paisagismo também é uma das principais frentes desse tipo de trabalho, trazendo uma forte transformação no mercado, já que a incorporação desse quesito em um projeto permite uma atualização constante, mantendo o emprego de muitos profissionais.

Considerações finais

A economia criativa, ao que podemos entender até aqui, é um dos preceitos mais importantes para os novos tempos, tanto quando falamos da renovação e inovação do mercado, quanto em um viés de criação de uma nova cultura de consumo.

Hoje podemos encontrar exemplos desse tipo de economia em todos os lugares, e por meio de incentivos constantes dos governos e prefeituras, o efeito será ainda maior, trazendo oportunidades e chances de renovação para empresas dos mais variados ramos.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Informações indisponíveis

0