22/05/2020 às 13h54min - Atualizada em 22/05/2020 às 14h03min

Mineira iZap Softworks lança plataforma para deixar o home office mais humanizado

Nova plataforma adapta o ambiente digital às necessidades de relacionamento das pessoas e promete mais segurança e produtividade.

DINO
https://izapsoftworks.com.br/remoteworks

A iZap Softworks, fabricante de softwares sob demanda de Belo Horizonte, lança no mercado a plataforma Remoteworks, um conjunto de soluções para o trabalho home office que integra ferramentas que ampliam as atividades de interlocução digital ao mesmo tempo em que humaniza o trabalho remoto. A plataforma inclui áreas de trabalho e de socialização, além de soluções de interatividade para promover o engajamento estimulado ao trabalho. As funcionalidades e o layout da plataforma poderão ser customizados de acordo com as especificações das empresas demandantes.

"O Remoteworks foi pensado do ponto de vista das pessoas e assim oferece um ambiente de trabalho mais amigável e envolvente para os empregados, sem deixar de lado as soluções de organização e de segurança para as empresas", define Igor Costa, CEO da iZap Softworks.

O Remoteworks pode ser instalado pelas empresas em conjunto ou em partes. Ele é estruturado na forma de um portal que organiza, distribui e controla o trabalho. Dentro dele, o empregado faz o "onboarding on-line" e entra em um ambiente controlado pela empresa, com todos os protocolos de segurança que o trabalho remoto exige. Por esse portal, o empregado pode tratar de assuntos de ordem organizativa (prestar contas de viagens) ou pessoal (verificar demonstrativo de pagamentos ou a situação de suas férias, por exemplo).

Além dessa parte mais burocrática, há outras soluções diretamente voltadas para facilitar o entrosamento humano à plataforma. Como a "Sala de Comunicação", que reúne as ferramentas de interlocução (chat, videoconferência) e troca de arquivos para o trabalho do dia a dia. A "Sala do Conhecimento" inclui ferramentas do tipo LMS, que permitem ações de treinamento e capacitação, via EAD. Já o "Hall da Fama" é ambiente onde os recursos de gamificação podem ser usados para ações de estímulo e de engajamento ao trabalho. Por fim, há o "Cafezinho", que é uma rede social interna onde os empregados podem socializar e relaxar, ainda que distantes fisicamente.

"O coronavírus fez o Brasil descobrir o home office", diz Igor Costa. "Mas a adoção ao trabalho remoto aconteceu de forma improvisada, nos adaptamos aos softwares que já estavam disponíveis e hoje as empresas enfrentam problemas de integração, de controle e de efetividade de trabalho", explica ele. "O Remoteworks concentra em uma única ferramenta o que a empresa precisa para replicar o ambiente de trabalho na casa do seu empregado, ou em qualquer lugar onde ele estiver", afirma o executivo.

"Como o Remoteworks permite ampla customização de estrutura e layout, as empresas podem trazer para esse universo vários elementos de sua cultura corporativa, mantendo um ambiente muito mais próximo daquele que os empregados encontram no local de trabalho físico", explica Igor Costa. "Sem falar que todo o sistema pode ser transportado via aplicativo para um celular, de forma que o trabalho remoto, de qualquer lugar, se torna uma realidade".

Preparar o home office do amanhã

"A transformação digital avançou três anos em duas semanas", avalia Igor Costa. "Mesmo as organizações que ainda tinham resistências a esse modelo de trabalho acabaram aderindo a ele pela imposição de uma realidade externa, irresistível e fora de seu controle", explica.

Na opinião do executivo da iZap Softworks, em um cenário pós-coronavírus é improvável que o trabalho retorne à forma que tinha antes da crise. Muitas pessoas, depois de testar e aprovar esse jeito de trabalhar, poderão optar por continuar trabalhando a distância (se tiverem a oportunidade de escolha). "As corporações poderão vir a adotar o home-office como uma forma regular de trabalho, porque puderam experimentar na prática como ele funciona", acredita Igor Costa. "Ao final do isolamento haverá muito mais gente em home office do que havia antes e essa tendência continuará crescendo".

Esse novo ambiente de trabalho não dará espaço para adaptações ou "quebra-galhos", como os que foram usados nesse primeiro momento da quarentena. "Quando mais se aprofundarem a cultura e o hábito do home office, mais as empresas investirão em segurança da informação", diz ele. Que conclui: "Os home offices do futuro exigirão plataformas unificadas, com diversas funcionalidades integradas, coisa que o Remoteworks já oferece hoje."


Durante a live de lançamento do produto, ocorrida no último dia 19 e disponível no canal do YouTube da iZap, a presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), Eliane Ramos, afirmou que esta é uma realidade que veio pra ficar. "Claro que depende muito da estrutura da empresa e do perfil do profissional. Nem todas as funções vão poder atuar desta maneira, mas a grande maioria sim. Temos que estar preparados para esta nova era que se inicia."

O advogado trabalhista Felipe Rabelo, do escritório Abdalla e Landulfo, que também participou da live, explicou que não apenas trabalhador evoluiu ao longo dos anos, como também a legislação do país. "Em 2017 houve uma reforma ampla da CLT, com a modificação de mais de cem itens, quando foi incluído o teletrabalho, aquele exercido fora das dependências da empresa. Com esse novo cenário trazido pela pandemia, tivemos a MP-927, que trouxe uma flexibilização para esta área, permitindo a adoção do teletrabalho de forma mais rápida."



Website: https://izapsoftworks.com.br/remoteworks
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »