29/06/2020 às 17h35min - Atualizada em 29/06/2020 às 21h33min

Startup fatura R$ 5,4 milhões em quatro meses conectando influenciadores e anunciantes

Relatórios em tempo real permitem às marcas e às agências terem controle total sobre o desempenho de cada campanha

DINO

Apesar de toda a efervescência em torno de seus nomes e atitudes, os influenciadores digitais ainda precisam superar alguns obstáculos para convencer definitivamente o mercado publicitário sobre a eficácia das ações protagonizadas por eles. Por outro lado, os profissionais de marketing se deparam com muitas dúvidas no momento de tomar uma decisão sobre este tipo de estratégia. Qual é o melhor nome? Qual o real nível de engajamento dele ou dela junto aos seus seguidores? Foi justamente por responder de forma satisfatória a estas e outras questões que a startup INFLR fechou os primeiros quatro meses de 2020, mesmo com os efeitos da pandemia de Covid-19, com um faturamento superior a R$ 5,4 milhões.

A empresa, fundada em 2019, desenvolveu a primeira plataforma que conecta anunciantes a influenciadores dentro de um marketplace. Nela, os anunciantes promovem seus produtos e serviços utilizando a influência dos ‘famosos’ junto a seus seguidores nas redes sociais. A plataforma gera relatórios em tempo real com os dados de cada campanha, para que as marcas e agências não dependam de relatórios manuais, enviados pelos próprios influenciadores. A receita anunciada entre janeiro e abril deste no vem de clientes como  Itaú, Droga Raia, Laureate, Porto Seguro, Heineken, GSK, Amstel, entre outros. 

O mercado de influenciadores digitais, inclusive, deve movimentar até US$ 7 bilhões no mundo em 2020.  Estudos recentes mostraram que a maioria dos internautas brasileiros segue personalidades nas redes sociais e até 50% destes seguidores consomem produtos indicados pelas novas vozes da era digital.

Dentre as vantagens da plataforma, está a possibilidade de as marcas se comunicarem com até 100% dos seguidores de cada influenciador, fazer campanhas de remarketing e inclusive multisegmentar essa entrega por: idade, sexo, geolocalização, comportamento de compra etc. Além disso, assim que se encerra o conteúdo orgânico de um story, a ferramenta consegue amplificar a comunicação para 30 dias.

Para os influenciadores, a plataforma conta com um algoritmo que calcula um score de influência através da análise dos perfis de redes sociais e remunera os influenciadores automaticamente.

 

Caso de sucesso

Com o objetivo de aumentar o número de inscritos nos seus vestibulares, a Anhembi Morumbi, FMU e FIAM FAAM, universidades do grupo Laureate, buscaram a startup INFLR para desenvolver uma campanha de marketing usando influenciadores. O resultado foi a conquista de um volume superior a cinco mil inscrições. A parceria foi iniciada no Pitch 'n Pizza, evento promovido pela Liga Ventures e revela números que comprovam o poder de estratégias que apostam nas celebridades do mundo digital como protagonistas.

Para atender as necessidades de conversão do Grupo Laureate, a INFLR trabalhou estratégias de remarketing, conduzindo usuários para a finalização de seus processos de inscrição, por meio de stories ou atualizações no feed, criados por influenciadores de vários estados do país.

“Além de posts produzidos para trazer novos usuários, atuamos com a amplificação de vídeos usando estratégias de Geolocalização via API da INFLR. As campanhas levaram em conta uma segmentação detalhada, de acordo com o público-alvo de cada universidade do Grupo Laureate”, explica o sócio da INFLR Thiago Cavalcante.

Além dos mais de cinco mil inscritos nos vestibulares, a campanha da INFLR para o grupo Laureate trouxe resultados como a obtenção de mais de 5,2 milhões de impressões nas campanhas; alcance superior a 1,5 milhões de internautas; mais de 179 mil interações com as campanhas e mais de 162 mil visitas ao site.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »