17/08/2020 às 07h23min - Atualizada em 17/08/2020 às 07h23min

Tornados e temporal deixam uma morte, 16 feridos e 830 desabrigados, diz Defesa Civil

Ventos fortes e temporal causaram estragos em 28 municípios

Por Marcos Antonio - Marcos Imprensa
NSC
Empresas foram destelhadas pelo tornado de sexta-feira(Foto: Flavio Vieira Junior/DCSC)
A Defesa Civil de Santa Catarina contabiliza 16 feridos, 28 cidades atingidas, 848 pessoas desabrigadas e 650 desalojadas em função dos tornados e das tempestades de sexta-feira (14) no Meio Oeste de Santa Catarina. Os dados foram atualizados neste domingo (16) pelo governo do Estado. Os temporais provocaram ainda a morte de um jovem de 22 anos, em Penha.
Uma avaliação mais detalhada em campo concluiu que dois tornados atingiram o Estado. Segundo o Laboratório de Clima da Defesa Civil de Santa Catarina, o primeiro tornado fez um traçado nos municípios de Água Doce, Ibicaré e Tangará. Já o segundo tornado afetou o município de Irineópolis. O sistema também provocou micro explosões e chuva de granizo intensa, como registrado no município de Vargem Bonita, onde 80% dos telhados de residências foram danificados.
A Defesa Civil está prestando suporte técnico e encaminhando itens de assistência humanitária conforme a chegada de solicitações dos municípios. Foram entregues até a tarde deste domingo 74 rolos de lona, 550 colchões, kits de acomodação e 70 cestas básicas. Da mesma forma, foi acionada a Ata de Registro de Preços da DCSC para a entrega de 13.230 telhas.
- Nosso objetivo é dar celeridade ao processo - diz o chefe da Defesa Civil, João Batista Cordeiro Jr.

As defesas civis municipais abriram abrigos para dar suporte aos atingidos. Um exemplo é em Vargem Bonita onde o abrigo foi montado no salão paroquial.

- Estamos enfrentando uma situação complicada, mas, juntos e com o apoio da Defesa Civil estamos ajudando as famílias. Vamos reerguer e reconstruir nossa cidade ao lado da população - comentou a prefeita de Vargem Bonita, Melânia Romam Meneguini.

Os tornados também trouxeram prejuízos econômicos com a destruição de empresas e indústrias. A situação mais complicada está sendo registrada na cidade de Tangará, onde indústrias de grande porte tiveram as instalações destruídas, afetando a vida de milhares de trabalhadores. A prefeitura informa que o tornado atingiu 80% das empresas do município.

- Estamos solicitando apoio para que os empresários retomem a produção e não ocorram demissões - disse o prefeito de Tangará, Nadir Baú da Silva.

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »