Tv ESPORTES TESTE

Madri segue coberta de neve após nevasca histórica e pode ter -11ºC

Por Marcos Antonio em 11/01/2021 às 11:37:35
Escolas, tribunais e museus estão fechados, e neve acumulada bloqueia ruas e avenidas. Governo tenta tranquilizar a população que vacinação contra Covid-19 não será afetada. A plaza Oriente coberta de neve em frente ao Palácio Real, no centro de Madri, capital da Espanha, no domingo 10 de janeiro de 2021

Manu Fernández/AP

Com escolas, tribunais e museus fechados e neve acumulada nas calçadas e bloqueando ruas e avenidas, Madri e o centro da Espanha seguem paralisados nesta segunda-feira (11), dois dias após uma histórica tempestade de neve.

Surpreendidos com a magnitude da nevasca, que deixou uma das maiores cidades europeias soterrada sob um espesso cobertor branco no fim de semana e com ruas que lembram pistas de esqui, as autoridades ainda não conseguiram remover a neve de bairros inteiros da capital espanhola.

Com menos sal e limpadores de neve do que o necessário, as autoridades se concentram em limpar as vias principais e temem que a situação se complicasse ainda mais, já que a neve deu lugar ao gelo, que multiplica o risco de escorregões na rua, e blocos de neve caem dos telhados dos prédios.

A onda de frio que atinge Madri e a região central do país segue nesta semana, com temperaturas mínimas de -11ºC nesta segunda e de -13ºC amanhã.

Mulher joga água em rua e calçada cobertas de gelo após forte nevasca em Madrid, capital da Espanha, nesta segunda-feira 11 de janeiro de 2021

Susana Vera/Reuters

"A neve vai continuar presente durante um tempo nas ruas de Madri com estas temperaturas", advertiu o prefeito de Madri, José Luis Martínez-Almeida, em entrevista a um canal de televisão.

A maioria das ruas continua sendo difícil de transitar, com até meio metro de neve em muitas delas. Muitas árvores cederam ao peso da neve acumulada e galhos quebrados tomam as ruas em toda a cidade.

Vacinação contra a Covid

O governo tenta tranquilizar a população frente a uma preocupação maior: a campanha de vacinação contra a Covid-19, que segundo autoridades não será perturbada pelas condições meteorológicas extremas.

"Qualquer atraso ou contingência, será muito pequeno", afirmou o ministro do Interior, Fernando Grande-Marlaska, em declaração a uma rádio, garantindo que haverá distribuição das doses para todas as regiões.

Uma vista de uma rodovia coberta de neve durante uma forte nevasca em Rivas-Vaciamadrid, Espanha - 9 de janeiro de 2021

Manu Fernandez/AP Photo

Como tem acontecido às segundas-feiras, 350 mil doses da vacina da Pfizer/BioNTech chegaram ao país, que é um dos mais atingidos pela pandemia e soma quase 52 mil mortos.

Transtornos da nevasca

As autoridades regionais informaram que foram distribuídas 277 toneladas de sal aos municípios da região e esperam receber outras 3.500 toneladas.

Na região de Madri, os centros educacionais, dos jardins de infância às universidades, ficarão fechados hoje e amanhã, assim como tribunais, museus, centros culturais e bibliotecas.

As autoridades pedem à população que permaneça em casa, evitando deslocamentos desnecessários para não gerar mais problemas e comprometer o abastecimento do comércio e o acesso aos hospitais.

Transporte afetado

Ao todo, 138 estradas do país permaneciam bloqueadas nesta segunda e quase 700 se mantinham "afetadas" pelo temporal, segundo o Ministério do Interior.

Dois homens caminham lentamente no meio de uma rua no sábado (9) após forte nevasca em Madri

Paul White/AP

No aeroporto internacional de Madri-Barajas, que se manteve fechado por quase todo fim de semana, a atividade começou a ser retomada gradualmente, com a decolagem de alguns voos durante a madrugada.

Os ônibus de transporte público continuam sem circular em Madri e os trens suburbanos voltaram a operar em algumas linhas com menor frequência. O metrô segue funcionando sem interrupções pela segunda noite consecutiva.

Os trens de alta velocidade também foram afetados e as rotas entre Madri e cidades como Barcelona, Salamanca e Zaragoza ainda não foram retomadas.

As autoridades madrilenas pediram ao governo espanhol a declaração de zona catastrófica, mas o ministro dos Transportes, José Luis Ábalos, respondeu que isso será estudado "assim que a tempestade melhorar e pudermos fazer uma avaliação dos danos".

Batizada de "Filomena", a tempestade também causou fortes chuvas em outras regiões da Espanha e deixou pelo menos três mortos.

Uma mulher esquia ao cruzar a Plaza Mayor em Madrid durante uma forte nevasca em Madrid, Espanha, sábado, 9 de janeiro de 2021

Andrea Comas/AP Photo

Fonte: G1

Comunicar erro

Comentários