Tv ESPORTES TESTE

Conteúdo em Flash será bloqueado na web pela Adobe a partir desta terça-feira

Plugin que era usado para reproduzir vídeos e jogar games foi substituído por tecnologias mais leves e seguras ao longo dos últimos anos. Flash Player [...]

Por Marcos Antonio em 12/01/2021 às 09:18:46
Plugin que era usado para reproduzir vídeos e jogar games foi substituído por tecnologias mais leves e seguras ao longo dos últimos anos. Flash Player deixou de ser atualizado e conteúdos que dependem dele serão bloqueados.

Divulgação

A Adobe irá bloquear a partir desta terça-feira (12) os conteúdos na web que são reproduzidos por meio do Flash Player, plugin usado para exibir vídeos e jogar games em navegadores de internet.

As animações serão substituídas por um gráfico que pode ser clicado para acessar uma página no site oficial informando sobre o fim da vida útil do produto.

A decisão faz parte de um cronograma de encerramento da extensão anunciado em 2017 pela Adobe, que é dona da tecnologia.

SAIBA MAIS: Adobe recomenda desinstalar Flash Player

Página de verificação do Flash não mais exibe a animação correta, mesmo que o plug-in seja ativado no Internet Explorer

Reprodução

Plugin em desuso

O Flash foi muito usado por sites como YouTube e Facebook para transmitir conteúdo em vídeo, além de ter se transformado em uma plataforma para jogos.

Porém, a tecnologia caiu em desuso nos últimos anos, substituído por alternativas mais leves e seguras, como o HTML 5. Os próprios navegadores web incorporaram funcionalidades que faziam parte do Flash.

A decadência começou com o lançamento do iPhone, quando a Apple adotou uma postura inflexível para não incluir o Flash em seu celular.

Steve Jobs, então CEO da Apple, criticou o Flash por ser uma tecnologia fechada, incompatível com telas sensíveis a toques e prejudicial à autonomia da bateria dos smartphones. Ele publicou uma carta com "reflexões sobre o Flash" em abril de 2010.

O Flash continuou sendo usado nos computadores e até apareceu em alguns aparelhos com Android, mas uma série de vulnerabilidades de segurança, somado ao desenvolvimento da tecnologia HTML 5, fez com que ele fosse deixado de lado.

Veja vídeos com dicas sobre segurança digital

Fonte: G1

Comunicar erro

Comentários