Tv

Investigadora que matou copeira durante festa de confraternização é promovida na Polícia Civil

De acordo com o advogado da família de Rosaira, Edson Luiz Facchi Junior, a publica√ß√£o representa uma grande decep√ß√£o para a família e para a sociedade. [...]

Por Marcos Antonio em 17/11/2020 às 20:58:12

De acordo com o advogado da família de Rosaira, Edson Luiz Facchi Junior, a publica√ß√£o representa uma grande decep√ß√£o para a família e para a sociedade. “É uma policial que, comprovadamente, fez um disparo que assassinou a Rosaira naquele fatídico 26 de dezembro de 2016”, disse.

Segundo o Governo do Estado, a progress√£o na carreira é a mudan√ßa de referência para outra imediatamente superior, dentro da mesma classe. Ela pode ocorrer por antiguidade, a cada cinco anos de efetivo exercício na classe, sendo equivalente a uma referência salarial; ou por merecimento, após o cumprimento do est√°gio probatório, mediante a apresenta√ß√£o de cursos e respeitando o intervalo de quatro anos entre as concess√Ķes.

Como o processo de K√°tia ainda n√£o transitou em julgado, ou seja, n√£o tramitou por todas as inst√Ęncias, uma liminar garante a nomea√ß√£o para o novo cargo. Segundo Facchi, um processo disciplinar administrativo corre contra ela no Conselho da Polícia Civil e ainda aguarda resultado.

Rosaira morreu em dezembro de 2016

Júri

Questionado sobre a realiza√ß√£o do júri, Facchi explicou que ele é inevit√°vel, mas aguarda uma decis√£o do Superior Tribunal de Justi√ßa (STJ). “A qualificadora do motivo fútil j√° foi sedimentada pelo STJ de que é possível, ent√£o pelo menos a essa ela vai responder. Outras duas est√£o sendo discutidas, o recurso que impossibilitou a defesa da vítima, s√£o cabíveis em um dolo eventual e é isso que aguardamos”, concluiu.

O caso

Ros√°ria participava de uma confraterniza√ß√£o no dia 23 de dezembro de 2016, no Centro Cívico, quando foi baleada na cabe√ßa. Ela chegou a ser socorrido e ficou internada no hospital, mas n√£o resistiu e morreu no dia 1¬ļ de janeiro. Na Divis√£o de Homicídios e Prote√ß√£o à Pessoa (DHPP), K√°tia disse que se irritou com o barulho da festa, que ocorria ao lado de casa. O disparo teria sido feito da janela do apartamento dela.

Fonte: Banda B

Comunicar erro

Coment√°rios