Tv

Ministro do TCU cobra Ministério da Saúde por falta de oxigênio em hospitais do Amazonas

Por Marcos Antonio em 20/01/2021 às 23:26:34
Benjamin Zymler pediu informações sobre falta de planejamento para lidar com crise e disse que, desde outubro, TCU emite alertas sobre 'novas ondas' da Covid-19. O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Benjamin Zymler cobrou do Ministério da Saúde, nesta semana, informações sobre a falta de planejamento para prever e lidar com a falta de oxigênio no Amazonas. Zymler também requisitou dados sobre as medidas adotadas para resolver o colapso na saúde do estado.

Em comunicado lido ao plenário do TCU nesta quarta-feira (20), o ministro disse ter determinado, na segunda (18), que a área técnica do tribunal pedisse esclarecimentos ao Ministério da Saúde sobre a crise no fornecimento de oxigênio hospitalar.

Nesta quarta, o Amazonas registrou 5.009 novos casos de Covid-19 e bateu o recorde de registros diários. Desse total, 3.632 novos casos foram confirmados em Manaus e 1.377 em cidades do interior.

Em todo o estado, o número de infectados chegou a 238.980. Também nesta quarta, foram confirmados 148 novos óbitos (56 das últimas 24 horas e 92 confirmados após investigação), e o total de óbitos saltou para 6.598.

Conselho Federal de Enfermagem faz vistoria em hospitais do Amazonas

O ministro pediu ainda informações sobre os instrumentos usados pelo Ministério da Saúde para controlar a destinação de recursos públicos para a previsão e o controle do abastecimento de insumos críticos como o oxigênio.

A determinação do dia 18 pede também que a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) preste informações sobre a situação do estoque de insumos no Hospital Universitário Getúlio Vargas, em Manaus.

REDES SOCIAIS: Ministério Público investiga desvio de doses da vacina contra Covid em Manaus

COLAPSO NO INTERIOR: Defensores públicos denunciam morte de 30 pacientes com Covid e síndromes respiratórias

Avisos desde outubro

Durante a sessão desta quarta, Zymler afirmou que o TCU apontava a necessidade de maiores ações do Ministério da Saúde desde outubro. Segundo o ministro, nesse período, o governo deveria ter se preparado para enfrentar uma possível "segunda onda de contágio" da Covid-19.

“A União, e consequentemente o Ministério da Saúde, possui responsabilidade pela coordenação e supervisão do sistema de saúde de média e alta complexidade”, destacou o ministro no comunicado.

Com o aumento do número de contaminações por Covid-19, o estado do Amazonas enfrenta há mais de uma semana uma grave crise no fornecimento de oxigênio medicinal. Com o sistema de saúde no limite, o estado já transferiu mais de 130 pacientes para outros estados e para o Distrito Federal.

Fonte: G1

Comunicar erro

Comentários