Tv ESPORTES TESTE

EUA passam de 17 milhões de vacinas contra Covid aplicadas; Biden prometeu 100 milhões em 100 dias

Por Marcos Antonio em 22/01/2021 às 11:48:41
País mais afetado pela pandemia lidera o ranking mundial de vacinação e tem meta ambiciosa. Proporcionalmente, Israel está muito à frente das outras nações. Agente do departamento de polícia de Nova York (NYPD) recebe dose da vacina contra a Covid-19 da farmacêutica Moderna Covid-19 na sede da academia da polícia no Queens, no subúrbio de NY, em 11 de janeiro de 2021

Jeenah Moon/Pool via Reuters

Os Estados Unidos aplicaram 17 milhões doses de vacinas contra a Covid-19 até o momento e lideram o levantamento desta sexta-feita (22) do projeto “Our World in Data”, ligado à Universidade de Oxford.

Mas a quantidade está muito abaixo da promessa não cumprida pelo ex-presidente Donald Trump (20 milhões no ano de 2020), e seu sucessor precisa correr para cumprir a meta de aplicar 100 milhões de vacinas nos primeiros 100 dias de governo.

Com mais de 24 milhões de infectados e 410 mil mortes por Covid-19, os EUA são o país mais afetado do mundo.

Até o momento, 15 milhões de americanos receberam a primeira dose da vacina e 2,4 milhões, as duas doses recomendadas. Mas, proporcionalmente, apenas 4,55% da população foi vacinada – contra 28,21% dos israelenses, que lideram este ranking (veja mais abaixo).

Meta ambiciosa

Denise Garrett, médica epidemiologista e vice-presidente do Instituto de Vacina Sabin em Washington, diz que a meta de Biden é “super ambiciosa”, mas possível. Isso porque foi feita junto com um plano, ao contrário da promessa de Trump.

A proposta de Biden envolve US$ 20 bilhões acelerar o processo de vacinação. Entre as medidas estão aumentar os locais de vacinação, contratar 100 mil profissionais, investir em pessoal e fortalecer os departamentos estaduais e municipais de saúde.

“O plano está olhando para o problema como um todo”, afirma a médica brasileira, que mora nos EUA. “Ele [Biden] está tendo uma visão bem ampla do controle da pandemia”.

A epidemiologia elogia os especialistas escolhidos pelo presidente eleito para a área – “assessores muito bons, de grande reputação” – e o fato de o plano ser guiado pela ciência e focado no que realmente importa:

“O controle dessa pandemia não é simples, mas é básico: são as medidas de distanciamento, o uso de máscara, testagem e rastreamento e vacinas”, afirma Garrett. “É o que a gente precisa. O básico”.

O presidente eleito dos EUA, Joe Biden, recebe sua segunda dose de vacina contra o coronavírus no ChristianaCare Christiana Hospital, em Delaware, na segunda-feira (11)

AP Photo/Susan Walsh

Ranking de vacinação

Mais de 56,5 milhões de doses de vacina contra a Covid-19 foram aplicadas em todo o mundo, segundo o “Our World in Data”. Os EUA lideram com 17,55 milhões, seguido de China (15 milhões), Reino Unido (5,44 milhões), Israel (3,29 milhões) e Emirados Árabes Unidos (2,25 milhões).

Do quinto ao décimo estão Alemanha (1,4 milhão), Itália (1,28 milhão), Turquia (1,12 milhão), Espanha (1,1 milhão) e Índia (1,04 milhão), que começou a vacinação há seis dias e apareceu pela primeira vez no top dez.

O Brasil aparece em 16º da lista, com 193.699 doses aplicadas, logo atrás da Argentina (265.724).

População vacinada

No ranking proporcional de vacinação, Israel segue isolado na liderança. O país já aplicou pelo menos uma dose em 28,21% dos israelenses e as duas doses em 9,83% da população.

Na sequência vêm Emirados Árabes Unidos (20,81%), Bahrein (8,47%), Reino Unido (7,33%) e Estados Unidos (4,55%), terceiro país mais populoso do mundo.

Completam o top dez: Dinamarca (3,09%), Irlanda (2,47%), Espanha (2,25%), Itália (2,08%) e Islândia (1,68%). O Brasil aplicou uma dose em 0,09% da população até o momento.

VÍDEOS com novidades sobre as vacinas

Fonte: G1

Comunicar erro

Comentários