11/02/2024 às 08h31min - Atualizada em 11/02/2024 às 08h31min

Número de auxílio-doença por alcoolismo cresce 19%, segundo INSS

Segundo os dados, número de benefícios deste tipo vem aumentando gradativamente desde a pandemia.

Redação - Marcos Imprensa
Oste Maís

O número de auxílio-doença por alcoolismo cresceu 19,5% no ano passado, de acordo com os dados do INSS. Pelo menos 4,3 mil benefícios foram concedidos a segurados que estão impossibilitados de trabalhar por conta do vício no álcool.

 

Segundo os dados do instituto, o número de benefícios deste tipo vem aumentando gradativamente desde a pandemia. No ano de 2020, foram 3,1 mil pedidos concedidos. No ano seguinte, o registro foi de 3,3 mil. Em 2022, o número cresceu para 3,6 mil concessões realizadas.

 

A mestre e doutoranda em direito pela PUC-SP, Carla Benedetti, explica que o auxílio-doença é um direito de quem sofre com esse tipo de vício, mas existem etapas de comprovação para que seja feita a concessão do benefício.

 

“É importante entendermos que existem alguns requisitos para essa concessão. É preciso haver uma rotina desse vício que impossibilite a pessoa de desenvolver suas atividades profissionais, o que claramente configura um prejuízo”, explica. 

 

Dependendo do caso, a advogada previdenciarista explica que há outros benefícios que se enquadram além do auxílio-doença. “A pessoa que sofre desse transtorno pode, em alguns casos, solicitar BPC (Benefício de Prestação Continuada), que atende idosos e pessoas com deficiência de baixa renda, e até a Aposentadoria por Invalidez, caso o transtorno se estenda, o que neste caso precisa passar necessariamente pelo auxílio-doença”.

 

Carla finaliza com um alerta importante sobre os dados. “As altas consecutivas levantam um debate para além da previdência social e devem ser interpretadas por diferentes setores da sociedade. É provável que a necessidade desse tipo de benefício continue crescendo”.

Hemosc necessita de doação de sangue

Idoso de 70 anos morre afogado em açude no Meio-Oeste

Bon Jovi deve fazer shows no Brasil em 2024

Homem de 45 anos responsável por tráfico de drogas em Ponte Serrada é preso

Motorista morre ao ser ejetada de automóvel em saída de pista em Chapecó

Trecho danificado de paralela será removido e refeito em Ponte Serrada

Rapaz desaparecido em Xanxerê entra em contato com a família

Caminhão carregado com suínos tomba em plantação após colisão no Oeste

Conteúdo para pessoas e negócios.

Siga Oeste Mais nas redes:

© 2012-2024 | Portal Oeste Mais | Todos os direitos reservados.

class="titulo" class="titulo" class="titulo" class="titulo" class="titulo" class="titulo" class="titulo" class="titulo"O número de auxílio-doença por alcoolismo cresceu 19,5% no ano passado, de acordo com os dados do INSS. Pelo menos 4,3 mil benefícios foram concedidos a segurados que estão impossibilitados de trabalhar por conta do vício no álcool. Segundo os dados do instituto, o número de benefícios deste tipo vem aumentando gradativamente desde a pandemia. No ano de 2020, foram 3,1 mil pedidos concedidos. No ano seguinte, o registro foi de 3,3 mil. Em 2022, o número cresceu para 3,6 mil concessões realizadas. A mestre e doutoranda em direito pela PUC-SP, Carla Benedetti, explica que o auxílio-doença é um direito de quem sofre com esse tipo de vício, mas existem etapas de comprovação para que seja feita a concessão do benefício. “É importante entendermos que existem alguns requisitos para essa concessão. É preciso haver uma rotina desse vício que impossibilite a pessoa de desenvolver suas atividades profissionais, o que claramente configura um prejuízo”, explica.  Dependendo do caso, a advogada previdenciarista explica que há outros benefícios que se enquadram além do auxílio-doença. “A pessoa que sofre desse transtorno pode, em alguns casos, solicitar BPC (Benefício de Prestação Continuada), que atende idosos e pessoas com deficiência de baixa renda, e até a Aposentadoria por Invalidez, caso o transtorno se estenda, o que neste caso precisa passar necessariamente pelo auxílio-doença”. Carla finaliza com um alerta importante sobre os dados. “As altas consecutivas levantam um debate para além da previdência social e devem ser interpretadas por diferentes setores da sociedade. É provável que a necessidade desse tipo de benefício continue crescendo”. Hemosc necessita de doação de sangue Idoso de 70 anos morre afogado em açude no Meio-Oeste Bon Jovi deve fazer shows no Brasil em 2024 Homem de 45 anos responsável por tráfico de drogas em Ponte Serrada é preso Motorista morre ao ser ejetada de automóvel em saída de pista em Chapecó Trecho danificado de paralela será removido e refeito em Ponte Serrada Rapaz desaparecido em Xanxerê entra em contato com a família Caminhão carregado com suínos tomba em plantação após colisão no Oeste Conteúdo para pessoas e negócios.Siga Oeste Mais nas redes:© 2012-2024 | Portal Oeste Mais | Todos os direitos reservados.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp