Mercado BR

Por que o Canadá, líder global de vacinas compradas, não consegue atingir metas de vacinação

Por Marcos Antonio em 15/02/2021 às 07:44:38
Apesar de ter garantido o maior número de potenciais doses de vacinas contra a covid-19 per capita no mundo, o Canadá ficou para trás na distribuição pelas empresas. Províncias estão buscando suas próprias soluções diante de críticas à incompetência do governo central

AFP/Via Getty Images/Via BBC

O Canadá garantiu o maior número de potenciais doses de vacinas contra a Covid-19 per capita no mundo, mas está lutando para colocar as mãos nessas doses.

Na sexta-feira (12), o primeiro-ministro Justin Trudeau prometeu um "enorme aumento" nas doses das vacinas Pfizer e Moderna que chegam ao Canadá, as únicas duas atualmente autorizadas para uso no país.

Ele está sob pressão de críticos que dizem que seu governo não distribuiu as vacinas com rapidez suficiente, e prometeu que todos os canadenses que desejam uma vacina a receberão até o final de setembro.

Canadá diz que terá redução de 50% em entrega de vacinas

A campanha de vacinação do Canadá começou em 14 de dezembro, e até agora o país administrou pouco mais de 1,18 milhão de doses. Atualmente, está em 40 na classificação global de doses por 100 pessoas, de acordo com dados compilados pela Bloomberg.

Apesar de ter garantido um número enorme de doses, o Canadá ficou para trás no momento da distribuição das vacinas pelas empresas

AFP/Via Getty Images/Via BBC

Pouco mais de 3 em cada 100 canadenses receberam pelo menos uma dose, em comparação com cerca de 14 nos EUA e 21 no Reino Unido.

Houve mais de 823 mil casos confirmados de covid-19 no país e mais de 21 mil mortes.

Por que o Canadá está ficando para trás?

O Canadá foi criticado no final do ano passado por comprar várias vezes o suprimento de que precisaria para garantir vacinas para sua população.

Assinou acordos com sete fornecedores de vacinas — Moderna e Pfizer, além de outros com autorização pendente, como AstraZeneca e Johnson e Johnson — em um total de mais de 400 milhões de doses. O país tem 38 milhões de habitantes.

Mas parece que o país não ficou bem posicionado na entrega prioritária dos dois imunizantes autorizados.

Isso em parte porque o país decidiu investir em vacinas de fábricas europeias, com medo de que os EUA, sob o comando do ex-presidente Donald Trump, proibissem as exportações.

Mas as fábricas europeias estão lutando com o abastecimento e, recentemente, tem sido a União Europeia, não os EUA, que vem ameaçando essas proibições.

A trabalhadora Anita Quidangen recebeu sua segunda dose em Toronto no mês passado

Reuters/Via BBC

O Canadá carece de capacidade de produção doméstica de vacinas.

Houve atrasos nas entregas, com pedidos reduzidos ou cancelados, nas últimas semanas, tanto para as inoculações da Moderna quanto da Pfizer.

Uma contagem da revista canadense Maclean sugere que o suprimento atual do Canadá está abaixo de cerca de 1 milhão de doses.

Até esta semana, 2,43% da população havia recebido pelo menos uma dose da vacina.

Quase 12% das pessoas com mais de 80 anos e pouco mais de 55% dos profissionais de saúde prioritários receberam pelo menos uma injeção, de acordo com dados do governo.

O Canadá espera 6 milhões de doses até o final de março, prazo que Trudeau disse que os fornecedores esperam cumprir.

Como tem sido a reação?

Há indícios de que os canadenses — muitos dos quais estão sob rígidos confinamentos durante o inverno — estão frustrados com o ritmo lento das vacinações.

"Atrasos na entrega das vacinas parecem ter prejudicado o Partido Liberal", declarou a empresa de pesquisas canadense Abacus Data em 5 de fevereiro.

"A aprovação do governo, a imagem do primeiro-ministro e a parcela de votos caíram nas últimas semanas. Simultaneamente, as percepções negativas sobre a forma como o governo lidou com o processo de vacinação aumentaram drasticamente."

Os primeiros-ministros provinciais desaprovaram.

Na quinta-feira, a província de Manitoba anunciou uma oferta para comprar dois milhões de doses de uma vacina candidata contra o coronavírus em testes iniciais, contornando o governo central. Alberta também sugeriu que buscará seus próprios suprimentos de vacinas.

E o governo canadense defendeu sua decisão de recorrer a um suprimento de vacinas contra o coronavírus de uma iniciativa global de compartilhamento de doses conhecida como Covax, que reúne fundos de países mais ricos para ajudar a comprar vacinas para si e para nações de baixa renda.

Neste momento, o Canadá é o único membro do grupo de países ricos do G7 listado como um beneficiário da Covax.

Que esforços estão sendo feitos para corrigir o problema?

Na sexta-feira (12), Trudeau anunciou que o Canadá receberá algumas doses da Pfizer antes do previsto e que, além disso, comprou 4 milhões de doses adicionais da vacina Moderna.

Ele disse que entende a "ansiedade" com as interrupções recentes.

Em uma tentativa de aumentar a produção nacional, o Canadá anunciou na semana passada que assinou seu primeiro acordo para permitir que uma vacina contra o coronavírus estrangeira, desenvolvida pela Novavax, seja fabricada localmente.

No entanto, essa vacina ainda está na fase três de testes e a unidade de produção de Montreal continua em construção.

Além disso, o país autorizou a administração de seis doses de cada frasco da vacina da Pfizer, em vez das cinco originalmente planejadas.

Veja os vídeos mais assistidos do G1

Fonte: G1

Comunicar erro
Teve news

Comentários