17/11/2016 às 11h27min - Atualizada em 17/11/2016 às 11h27min

Curitibanos segue livre da Dengue

As temperaturas começam a subir, as chuvas tornam-se mais constantes e o clima abafado chama a atenção para um tema que é velho conhecido de muitos brasileiros: a Dengue.

Enquanto alguns municípios preocupam-se com a proliferação do Aedes aegypti, Curitibanos continua sem registros da doença. No entanto, uma larva do mosquito, identificada em uma armadilha da cidade, em abril deste ano, reforçou o alerta para a prevenção.  

De acordo com a diretora de Saúde Luely Katto, evitar a chegada da Dengue ao município depende de muito esforço e conscientização. Ela revelou que a equipe da Vigilância Epidemiológica tem trabalhado duro para manter Curitibanos longe dos focos do mosquito transmissor, mas nem sempre é uma tarefa fácil. Para o agente de endemias Paulo Roberto Goetten, o lixo acumulado e, principalmente, a falta de cuidado dos moradores com os resíduos descartados em seus terrenos são os gargalos do combate à Dengue. "Principalmente, pneus em desuso. Esses são os que mais se acumulam em imóveis, sobretudo nos lotes baldios. Essa situação tem gerado uma grande preocupação", observou o agente.

Paulo comentou que, para modificar essa realidade, existe uma lei que determina multa a partir de R$ 500 para quem deixar lixo em terrenos e propriedades. O agente salientou, ainda, que boa parte da população não tem consciência de que a responsabilidade sobre o lixo que produz é de cada cidadão e não do poder público. Na tentativa de conscientizar a população sobre o tema, a Vigilância Epidemiológica de Curitibanos está organizando uma série de palestras e jogos educativos para estudantes dos centros de Educação Infantil. A atividade deve acontecer até o fim deste mês, com data a ser marcada.

Na luta contra o mosquito, em Curitibanos, há 127 armadilhas, vistoriadas semanalmente, e pontos estratégicos, quinzenalmente. A partir desse trabalho, é possível monitorar a presença do Aedes aegypti no município.

Fonte:Jornal Asemaa/Franciele Gasparini

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp