10/01/2017 às 11h08min - Atualizada em 10/01/2017 às 11h08min

Alerta:Cuidados redobrados com diversão em água doce

Nesta época do ano, as temperaturas sobem e é bastante comum que a população busque refrescar-se em rios

Nesta época do ano, as temperaturas sobem e é bastante comum que a população busque refrescar-se em rios, lagos, açudes e cachoeiras. No entanto, o cuidado deve ser redobrado para evitar acidentes, como o acontecido no último domingo (1), quando a ceciliense Joyce Meireles da Silva, 14 anos, morreu afogada.

Conforme informações da resenha do Corpo de Bombeiros de Curitibanos, o afogamento ocorreu na represa do Ubatã, interior de Santa Cecília, reforçando o alerta e cuidados para as diversões aquáticas e prevenção de afogamentos. Por isso, o Corpo de Bombeiros destaca que, para quem vai brincar em lagos, rios ou represas, recomenda-se observar algumas dicas importantes que podem evitar uma tragédia. 

O ideal é não mergulhar de cabeça ou de "ponta" e, sim, entrar na água de pé. Em hipótese alguma, crianças devem ficar sozinhas na água e deve-se evitar entrar na água após ter ingerido bebida alcoólica. Em caso de acidente com mergulho, é necessário imobilizar a cabeça do acidentado e chamar o Corpo de Bombeiros, imediatamente, pelo 193.

Para garantir a segurança, ao brincar com crianças em piscinas, por exemplo, é preciso permanecer a pelo menos um braço de distância, mesmo que haja guarda-vidas. Além disso, é preciso saber como agir em emergências aquáticas. Caso as recomendações forem seguidas, podem resultar em mais de 95% de segurança contra afogamentos em piscinas, por exemplo.

2016 

Em 2016, conforme dados levantados na Redação do "A Semana", aconteceram três afogamentos, todos no interior de Curitibanos. Um deles, em janeiro, tirou a vida do adolescente Leonardo Ribeiro da Silva, de 15 anos, em uma na cachoeira da localidade de Cartão Sbravatti, com sete metros de profundidade. 

Outros dois afogamentos foram registrados em outubro, vitimando Eduardo Vicentini, 31 anos, em um açude no Capão da Mortandade, e Maria de Lourdes Andruchechen, 57 anos, que, após ser dada como desaparecida, foi localizada por um pescador, boiando no Rio Marombas.

Fonte:Franciele Gasparini/Jornal Asemana

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp