Tv

Réus são condenados a 85 anos de prisão em Caçador

Quatro foram condenados por homicídio, tortura e fogo; e um foi absolvido

Por Marcos Antonio em 04/12/2020 às 09:22:41

O tribunal do júri condenou quatro homens pela morte de Marcelo Balbino Correia. As penas juntas somam 85 anos. A vítima foi assassinada em dezembro de 2018 em Caçador, e os réus eram acusados de homicídio com tortura e fogo. Um quinto réu foi absolvido.

O júri popular, realizado na Câmara Municipal de Caçador sob forte esquema de segurança, teve duração de 15h. O juiz André da Silva Silveira leu as sentenças por volta da meia noite.

No decorrer do júri, os cinco acusados negaram a autoria do crime e também negaram fazer parte de alguma facção criminosa.

Testemunhas e policiais também foram ouvidos no júri e relataram que Marcelo, a vítima, tinha sido assaltado e jurado de morte dias antes do crime.

Durante o júri, houve discussões acaloradas entre promotoria e advogados de defesa.

As penas

Luiz Diego Kraiewski Р28 anos de recluṣo em regime fechado - externa crueldade, culpabilidade exacerbada, idealizou o crime, tem condena̵̤es anteriores, tem maus antecedentes.

Emerson Souza Silveira Mello - 23 anos de reclusão em regime fechado - agravante de reincidência

Edson Souza Silveira Р20 anos em regime fechado Рagravante de reincid̻ncia

Fabrício Ferreira - 14 anos de reclusão em regime fechado - não houve prova que fez a agressão

Gilmar Pereira de Agostinho Júnior – absolvido

Na acusação atuaram os promotores de justiça Felipe de Oliveira Neiva e Bianca Andreghetti Coelho.

A defesa dos réus ficou por conta dos advogados Márcia Helena da Silva (defensora pública indicada pelo Estado), Jucemara Thibes de Campos e Sandro da Silva de Oliveira.

Durante o júri, acusação e defesa tiveram discussões acaloradas. A promotoria pode entrar com recurso porque não concordou com a absolvição de um dos réus e com a diminuição de pena de outro.

A defesa também estuda entrar com recurso porque não concordou com as penas dos condenados.

O crime

O crime foi cometido há dois anos, em dezembro de 2018, em Caçador. A vítima, Marcelo Balbino Correia, 22 anos, foi atraída até a casa de um dos autores. Ele foi amordaçado, torturado e asfixiado com um fio de luz. Para se ter ideia da violência, as agressões resultaram na fratura de todos os ossos da face de Marcelo.

Em seguida, os acusados enrolaram a vítima em um colchão e atearam fogo, abandonando o corpo em uma estrada no interior do município.

Marcelo Balbino Correia era natural de Juazeiro do Norte, no Ceará, e estava em Caçador há pouco tempo, onde estava trabalhava como vendedor ambulante. Antes disso, ele morava em São Paulo.

Segundo os autos do processo, o crime foi motivado por rivalidade entre facções criminosas.

Comunicar erro

Comentários