07/01/2022 às 10h57min - Atualizada em 08/01/2022 às 00h00min

O que é trauma? Entenda os diferentes tipos e saiba como identificar e tratar essa condição

Muito ligado a acidentes e situações imprevistas, quadro requer tratamento rápido e altamente especializado

SALA DA NOTÍCIA Pollyana Cabral
RODNAE Productions

 
O que é trauma? Entenda os diferentes tipos e saiba como identificar e tratar essa condição


Muito ligado a acidentes e situações imprevistas, quadro requer tratamento rápido e altamente especializado
 
Quando se ouve a expressão “trauma" associamos mais diretamente o termo a traumas psicológicos, causados por alguma experiência marcante que atravessamos. Porém, o trauma​​ também pode ser físico. Chama-se trauma uma lesão que é produzida por uma ação externa ao corpo. Ela pode ser por violência física ou química, bem como por quedas, queimaduras, acidentes automobilísticos ou acidentes domésticos. 

Suas consequências podem ser graves e abranger vários órgãos. Por isso, até mesmo aqueles que parecem simples e menos impactantes ainda exigem cuidados profissionais. 

Acidentes domésticos  

Os acidentes domésticos são responsáveis por uma grande parcela dos casos que chegam aos centros de trauma. Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, os acidentes domésticos representam a principal causa de morte entre crianças e adolescentes de 1 a 14 anos. A pesquisa aponta, ainda, que 90% deles poderiam ter sido evitados. 

Portanto, para quem tem criança em casa, esse deve ser um alerta constante. Infelizmente, mesmo com todo o zelo, os acidentes precisam só de um descuido momentâneo para acontecer. Vale ressaltar: não há regra. Objetos e situações das mais variadas possíveis podem acabar em finais dolorosos, tanto para crianças como para adultos, que também são bem suscetíveis a acidentes domésticos.  

Acidentes por causa externa 

Como já foi citado, esses costumam ser os casos mais emblemáticos e podem acontecer em qualquer lugar, a qualquer momento e das maneiras mais imprevisíveis. Uma grande parte dos casos acaba deixando sequelas e consequências traumáticas para a vida de quem os vivencia. Nessas situações, as equipes de primeiros socorros passam a ser agentes decisivos, pois os procedimentos realizados nos primeiros momentos do ocorrido são capazes de salvar ou condenar uma vida. 

“Para a reanimação no trauma ser bem-sucedida, temos dois grandes fatores preditivos de sucesso: tempo para iniciar as manobras e gravidade da lesão. Lesões cardíacas e de grandes vasos sanguíneos necessitam de atendimento especializado e num curto intervalo de tempo; essa é a única chance de salvar os pacientes", exemplifica o  cirurgião do Centro de Trauma do Hospital Brasília Rodrigo Rocha.  

Fatores que influenciam o resultado do tratamento do trauma 

Normalmente, em caso de acidentes, quedas ou outras situações de trauma, quem primeiro recebe a vítima são os profissionais especialistas em resgate e no atendimento pré-hospitalar (APH), como os agentes do Samu ou os bombeiros, por exemplo. Começa, então, uma corrida contra o tempo para oferecer o melhor atendimento a quem sofreu a lesão. “O tempo de socorro e de transporte até uma unidade hospitalar especializada, bem como a forma adequada de transportar e estabilizar esse paciente são importantíssimos para se obter um desfecho positivo na ocorrência", afirma o especialista Dr. Rodrigo Rocha.  

No atendimento hospitalar, a agilidade e a multidisciplinariedade também se mostram fatores importantes para o resultado dessa assistência.  

Ninguém gosta de pensar muito sobre isso, mas um centro de trauma de referência faz muita diferença para o desfecho de casos simples ou graves nessa área. Em geral, vítimas e familiares só entram em contato com o assunto diante de situações adversas e momentos de aflição, mas que exigem grandes decisões.

É o que acontece quando há, por exemplo, acidentes de carro, moto ou bicicleta. No entanto, acidentes podem acontecer a qualquer momento e gerar consequências graves para o resto da vida. Vamos entender como um bom atendimento pode mudar totalmente o desfecho das histórias?  

 

Centro de Trauma do Hospital Brasília 

O Hospital Brasília Unidade Lago Sul foi pioneiro no Distrito Federal a oferecer uma área totalmente dedicada ao atendimento do acidentado. Uma estrutura de alta tecnologia, equipe multidisciplinar e processos muito bem definidos fazem com que a assistência a essas ocorrências seja feita de maneira eficiente. Assim que uma pessoa acidentada chega ao Hospital Brasília, ela é recebida por uma equipe especializada no atendimento. O protocolo inicial permite uma tomada rápida de decisão, e a equipe é treinada para fazê-la da melhor forma.   

Logo que o paciente dá entrada à unidade, seus sinais vitais são aferidos, exames de sangue são coletados e ele passa por um exame físico à procura de lesões que possam colocar sua vida em risco. O objetivo é que, em menos de meia hora, o paciente já esteja com todos os exames prontos, diagnóstico feito e seja encaminhado para o centro cirúrgico, se for o caso.  
Nesse momento, a pessoa passa por uma triagem detalhada que a categoriza, a fim de encaminhá-la para a área de atuação adequada. O protocolo utilizado se baseia no “ABCDE do Trauma", que consiste em verificar os danos causados pela ocorrência em cada função vital do corpo humano. 
 
- vias aéreas – verificar se há obstrução do nariz ou da boca. 
B - verificar se há algo prejudicando os pulmões (fratura de tórax, perfuração etc.). 
C - circulação – verificar se há hemorragia.  
- verificar se há complicações cerebrais causadas pelo tórax, por meio da checagem da cognição e da consciência do paciente. 
- verificar se houve fratura em algum dos membros. 

“O Hospital Brasília investe continuamente no treinamento de sua equipe para que, no momento em que esse paciente chegue ao hospital, nenhum segundo seja perdido. Sobre o atendimento ideal, com certeza, nossa equipe presta a melhor assistência ao traumatizado, o que se reflete em nossa taxa de sucesso, que é altíssima", afirma o Dr. Rodrigo. 

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Informações indisponíveis

0