21/02/2019 às 20h06min - Atualizada em 21/02/2019 às 20h06min

Operação conjunta fiscaliza postos de combustíveis em Caçador

A ação durou três dias e constatou irregularidades em alguns estabelecimentos

Uma operação conjunta, que iniciou na terça (19) e terminou nesta quinta-feira (21), fiscalizou nove postos de combustíveis, em Caçador. O balanço foi divulgado hoje pelos quatro órgãos que participaram da ação: Polícia Civil, Agência Nacional do Petróleo (ANP), Procon e Instituto de Metrologia (Imetro).


Representantes dos órgãos participaram de uma coletiva de imprensa

Durante os três dias, os agentes analisaram a qualidade e a vazão dos combustíveis, fiscalizaram os produtos das lojas de conveniência, além de questões documentais, como licenças e alvarás.

Ao todo, 96 bicos passaram por análises, sendo que cinco deles foram lacrados por erro de vazão, uma vez que abasteciam quantidade menor do que marcava na bomba. No entanto, não foi havia indício de fraude, nem de adulteração.

Também foram notificados cinco estabelecimentos por problemas na documentação, os quais poderão ser interditados se não regularizarem dentro do prazo estabelecido.

Na parte de defesa do consumidor, o Procon municipal notificou quatro estabelecimentos devido à constatação de produtos vencidos nas lojas e de ausência de etiquetas com preço. As mercadorias impróprias para consumo foram levadas ao aterro sanitário.

Segundo a Polícia Civil, que coordenou os trabalhos, esta foi a primeira etapa da operação e ela terá continuidade. Os outros seis postos em funcionamento no município serão fiscalizados em breve, informou o Setor de Fiscalização de Jogos e Diversões.

“É uma operação sem precedentes nessa área, em razão da sua magnitude. Ela é bastante abrangente, complexa e demorada, porque envolve todas as atividades que essas empresas exploram. Trata-se de uma ação bastante importante em nosso município”, ressalta o delegado regional Fabiano Locatelli.

Testes de qualidade

O especialista em regulação de petróleo e derivados, Stefan Nicolas, informou que os postos fiscalizados nesta primeira etapa passaram no teste de qualidade. Ele lembra que qualquer pessoa tem o direito de exigir este teste.

“Se a pessoa desconfia de algo, ela pode solicitar no local e o posto é obrigado a ter os equipamentos necessários, bem como a aplicar o teste. Caso o posto se recuse a fazer, esse consumidor deve procurar o órgão mais próximo, que é o Procon. É importante que o consumidor saiba que ele tem esse direito”, orienta.


Informações Caçador Net
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp