13/05/2021 às 07h10min - Atualizada em 16/05/2021 às 00h00min

Maior fator de perda de dinheiro na Bolsa de Valores no Brasil é a falta de conhecimento

Com o aumento de brasileiros migrando da poupança para o mercado de ações, também cresce o número de golpistas

SALA DA NOTÍCIA Notícia Expressa
Com um histórico de empreendedorismo nato, motivado pela tão sonhada independência financeira e pela criatividade que lhe é tão peculiar, o brasileiro, cada vez mais, migra da poupança para outras formas mais interessantes de investimento, dentre elas o mercado de ações. “A popularização de criadores de conteúdo que falam sobre o mercado financeiro fez muita gente ir atrás de empresas que oferecem consultoria no mercado de ações”, explica o educador financeiro Tiago Cespe, fundador da Cespe Investimentos.

Acostumado à poupança, na qual contabilizava seus ganhos mensalmente, com data pré-fixada, o perfil de investidor do brasileiro ainda se vê atrelado à ansiedade pelos lucros imediatos e à crença por altas taxas de retorno. Uma fórmula perigosa para quem decide se aventurar no mercado de ações por conta própria e um banquete para pessoas sem escrúpulos em busca de alguém para aplicar golpes.

Embora todo e qualquer tipo de investimento esteja associado a um certo grau de risco, o principal fator de perda de dinheiro na bolsa é a falta de conhecimento e de assessoria adequada. Não são raros os casos de pessoas que, iludidas pelas promessas de retornos muito acima daqueles praticados pelo mercado, perdem todo o seu dinheiro.
 
“Algumas pessoas acabam perdendo dinheiro pois acreditam em propagandas enganosas, promessas de dinheiro rápido, sem ao menos pesquisar o histórico do profissional ou instituição que está oferecendo esse tipo de serviço”, afirma Cespe.

É claro que você não precisa ter doutorado em Economia para operar na Bolsa de Valores ou investir no mercado financeiro. As responsáveis por isso são as corretoras. Para quem pretende investir na bolsa de valores, é preciso abrir uma conta em uma corretora. É através dela que o investidor vai executar a compra e venda das ações, seja por telefone ou internet. No entanto, é de suma importância que a corretora seja idônea, de boa reputação, e tenha profissionais qualificados em sua equipe.

A falta de conhecimento, aliada à ilusão de obter 200% de retorno em um único dia, também leva muitas pessoas à falência em operações de “Day Trade” – uma modalidade de negociação utilizada em mercados financeiros, bastante volátil, que tem por objetivo a obtenção de lucro com a oscilação de preço, ao longo do dia, de ativos financeiros.

“Ao contrário do que muitos ainda acreditam, o mercado de ações não é um grande casino de apostas. Jogos de azar trabalham com probabilidades que beneficiam a casa, onde o conhecimento de nada vale. Investir em ações exige conhecimento do mercado, da solidez das empresas que nele operam, das ferramentas e processos de negociação, além de amplo conhecimento e constante atualização sobre geopolítica. É ciência, não aposta.” – finaliza Tiago.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Informações indisponíveis

0