14/01/2022 às 17h36min - Atualizada em 15/01/2022 às 00h00min

Rede Bom Valor movimenta mais de R$ 480 milhões usando a tecnologia blockchain

Plataforma ´Os Leiloeiros`, criada por Ronaldo Santoro, revoluciona a cultura do setor dos leilões online, com nova tecnologia

SALA DA NOTÍCIA GPCOM COMUNICAÇÃO CORPORATIVA
www.gpcom.com.br
Divulgação
Primeira empresa da América Latina a utilizar blockchain para a realização de leilões online, a Bom Valor demonstra como essa tecnologia de validação de dados das transações na internet pode ajudar a alavancar os negócios na rede – no caso da empresa, inicialmente no mercado de leilões, que cresce em ritmo acelerado, principalmente no contexto da expansão do e-commerce verificada com a Covid-19. Nos últimos dois anos, a Bom Valor já movimentou mais de R$ 480 milhões em leilões online de bens diversos realizados com a tecnologia blockchain, e prepara o lançamento de novas verticais de negócios que irão impulsionar ainda mais a empresa, além de possíveis aquisições.

Em 24 meses de atuação, a Bom Valor ofertou mais de R$ 1 bilhão em ativos, e em 2021, realizou mais de 2.400 leilões, número 34% superior ao de 2020, com a venda de 25,2 mil lotes, um volume 46% maior do que no ano anterior.

Criada pelo empresário Ronaldo Santoro com o objetivo de garantir mais confiança, segurança e transparência às transações online e transformar o mercado de compra e venda, inicialmente no segmento de leilões, a Bom Valor iniciou atividades com a aquisição de uma software house cuja plataforma já havia sido testada e comprovada, totalizando mais de R$ 1 bilhão em transações na ocasião. A partir daí, incorporou a tecnologia blockchain a ela, levando o mercado de leilões a um novo patamar tecnológico e de segurança.

Ao trazer essa inovação e buscar revolucionar o mercado de leilões na internet, a Bom Valor tornou-se referência no uso de blockchain, recebendo hoje um elevado número de consultas de empresas interessadas em entender melhor esta tecnologia, ao mesmo tempo que atrai a atenção de investidores.

“Estamos fazendo uma disrupção no mercado de leilões, com um modelo inovador baseado na tecnologia blockchain e ancorado em uma rede colaborativa (exchange) para a comercialização dos produtos, com infraestrutura e uma nova forma de pensar”, destaca Ronaldo Santoro, fundador e Head de Produtos Digitais e Tecnologia da rede Bom Valor. Segundo ele mais do que uma plataforma, a Bom Valor é um grande ecossistema que está criando uma nova cultura. “Estamos pautando a nova web, ancorada na blockchain, com a garantia do registro e validação das transações, rastreabilidade e acessibilidade dos dados a todos os usuários”, destaca.
 
Ronaldo começou a atuar no setor dos leilões, nos anos 90, participando da atividade que tornou sua família, a Sodré Santoro, referência em leilões no País, mas inicialmente no modelo presencial, e a partir daí vislumbrou a oportunidade de realizar os certames pela internet, sendo pioneiro neste modelo. Em 2020, mais uma vez, percebeu que a tecnologia blockchain era outra disrupção de grande impacto para levar ao mercado de leilões, e fundou então a Bom Valor, que desenvolve produtos, serviços e soluções digitais para compradores e vendedores no segmento de leilões online.

“O uso da blockchain permitirá ao mercado de leilões crescer ainda mais, transformando-a no trader do bem da sociedade, que empodera o consumidor ao dar a ele segurança e acesso aos dados”, destaca Ronaldo Santoro, ao lembrar que o mercado de bens usados (de todos os tipos) movimenta vendas em torno de R$ 1 trilhão ao ano, das quais R$ 100 bilhões são feitas por meio de leilões ainda presenciais em sua quase totalidade. “A tendência é essas vendas migrarem para a internet, e o uso de blockchain fará uma diferença enorme para validar essas transações.”

EXPANSÃO E AQUISIÇÕES
A Bom Valor já se transformou em um ecossistema de leilões online. Possui diversos produtos para atender necessidades específicas deste mercado e já conta com duas verticais de negócios: a Bom Valor Judicial, voltada ao mercado de leilões de bens provenientes de processos de falências e de recuperação judicial, e a Cooperex, destinada a leilões voltados ao mercado de cooperativas, além da rede colaborativa Os Leiloeiros, que reúne casas de leilão e leiloeiros, que utilizam a sua plataforma de blockchain e soluções. Mas os seus planos são mais ousados, inclusive de curto prazo.

 “Vamos lançar mais seis verticais de negócios nos próximos meses, e também estudamos uma possível aquisição para ampliar nosso portfólio de serviços”, conta Marcus Penteado, co-CEO da Bom Valor, ao explicar que o crescimento será tanto orgânico quanto por meio da incorporação de negócios especializados. “Por conta da proposta inovadora e de alto valor voltada a transformar e impulsionar o mercado de leilões, a Bom Valor também está atraindo a atenção de investidores”, destaca.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Informações indisponíveis

0