17/01/2022 às 11h35min - Atualizada em 17/01/2022 às 14h51min

Criadora da Educação NeuroConsciente, Telma Abrahão, fala sobre os desafios da tomada de consciência dos pais

Especialista explica a importância da educação emocional dos adultos para educar os filhos

SALA DA NOTÍCIA Márcia Stival Assessoria
Márcia Stival Assessoria
divulgação
Estudos científicos comprovam a importância dos primeiros anos de vida na construção de um ser humano emocionalmente saudável e como as experiências vividas na infância moldam quem e como seremos durante a vida adulta.

Telma Abrahão, idealizadora da Educação NeuroConsciente e autora do livro “Pais Que Evoluem”, explica que essa forma de educar nasceu da necessidade e do desejo de levar conhecimento para todas as pessoas que se relacionam ou desejam compreender mais profundamente sobre os impactos da infância na vida do ser humano. “Precisamos dar à luz a uma nova visão sobre a infância, entendemos que é papel de todos os pais, educadores e profissionais da saúde que lidam com crianças compreender a fundo os impactos do seu papel ao longo da infância!”, declarou ela.

A especialista em Neurociências Comportamental Infantil conta que, uma das maiores queixas que recebe dos pais é sobre os filhos não fazerem o que eles mandam, “Eu recebo centenas de mensagens por dia com esse tipo de reclamação. E na verdade, por que isso acontece? Muitos pais pensam que é porque o filho é terrível, ou porque o filho não é uma boa criança e na verdade a maioria não compreende que crianças possuem um cérebro ainda imaturo e não são capazes de ter atitudes racionais como as de um adulto”, ela explica.

“Então entram em desespero pois pensam ‘essa criança não vai se tornar um bom adulto, essa criança é desobediente, é malcriada’ e a correção vem em forma de castigos, de ameaça, com desrespeito, críticas, julgamentos, o que acaba reforçando, ou até mesmo, piorando esse comportamento!”, afirma Telma.

De acordo com a escritora, esse tipo de correção não surte efeitos porque os pais tentam fazer com que as crianças se encaixem em um molde que elas não cabem, “Nós, como pais, precisamos entender como funciona a biologia humana. Crianças nascem 100% dependentes de seus pais e ainda não sabem lidar com as emoções difíceis que sentem, como a raiva e a frustração, por exemplo”, ressaltou.

Segundo Telma, o ser humano é a espécie de mamífero com o cérebro que demora mais tempo para amadurecer, o córtex pré-frontal – parte onde pensamos, raciocinamos, calculamos e vemos as consequências das nossas atitudes -, termina de amadurecer aos 25 anos de idade, então ao esperar que uma criança de dois anos já tenha autocontrole, não se frustre ou não chore em um mercado quando quer um doce, é esperar algo que é biologicamente impossível, já que essa criança não consegue ainda se acalmar sozinha ou regular as próprias emoções, pois o cérebro dela não está maduro o suficiente para isso.

“Quando os pais não entendem isso e esperam de uma criança um comportamento que ela ainda não pode ter, acabam trazendo inúmeros conflitos para a família, além de traumas para a criança também. É claro que a criança precisa de orientação, treinamento e limites, mas é fundamental aprender a fazer isso de forma respeitosa, que faça sentido e que ajude essa criança a se desenvolver enquanto o cérebro dela está amadurecendo!”, esclarece a especialista.

Para que isso aconteça, Telma assegura de que os pais precisam tomar a consciência de que a mudança precisa começar neles, os adultos, que conseguem entender como funcionam as emoções. “Muitos pais não conseguem se controlar, vivem com raiva, vivem gritando, mas não querem que o filho faça o mesmo. Então, eu sempre falo que é sobre se reeducar. É sobre tomar consciência que a mudança que queremos ver no comportamento de uma criança precisa começar em nós. Somente assim estaremos aptos a dar o suporte emocional que as crianças tanto precisam para que possam se desenvolver de forma emocionalmente saudável.” – finalizou a escritora.

Telma Abrahão é formada em Biomedicina há mais de 20 anos e especialista em Neurociências Comportamental Infantil. Idealizadora da Educação Neuroconsciente e autora do best seller "Pais Que Evoluem".
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp