28/04/2021 às 10h48min - Atualizada em 28/04/2021 às 10h48min

Comércio espera aumento nas vendas para o dia das mães

Roupas e calçados lideram a lista de intenção de compras de presentes

Repórter Marcos Antonio - Marcos Imprensa
- Levantamento realizado pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL/SC) aponta que 53% dos entrevistados acreditam que as vendas para o dia das mães deste ano serão superiores às registradas no mesmo período do ano passado. Outros 36% avaliam que o resultado deve ser igual.
 
Mesmo com os impactos da pandemia, a maior parte dos entrevistados, 39,9%, avalia que o crescimento nas vendas será de até 4%. “O dia das mães é uma das principais datas do comércio, atrás apenas do Natal. O otimismo identificado no varejo catarinense é um importante sinal de uma retomada do horizonte pós-pandemia. Lembrando sempre que todos os cuidados sanitários continuam sendo rigorosamente cumpridos nas lojas, para segurança dos funcionários e dos clientes”, avalia Ivan Roberto Tauffer, presidente da FCDL/SC.
 
Para o presidente da CDL Videira, Fernando Favero o levantamento da FCDL reflete a realidade do comércio videirense, que embora cauteloso espera incremento nas vendas, nesta que é considerada uma das principais datas para o comércio varejista. “A tradição de homenagear as mães deve se juntar à queda nas temperaturas, às promoções e as novidades que as lojas prepararam para movimentar nosso comércio, que também terá horário estendido no sábado (8), véspera do dia das mães”, complementa.
 
Entre os itens que deverão ser mais procurados para a data, destaque para roupas e calçados (mencionados por 36,1% dos entrevistados), flores (19,1%), eletroeletrônicos (11,2%) e chocolates (10,4%). Foi identificado ainda que 65,2% dos empresários estão programando alguma promoção e 31,6% estimam um tíquete médio entre R$ 51 e R$ 100.
 
O levantamento da FCDL/SC foi realizado com 400 empresas associadas que atuam no varejo em 20 cidades com maior potencial de consumo – IPC. Quanto à forma de atendimento, 52,2% estão operando tanto de forma física quanto on-line, 45% somente em loja física e 2,8% somente on-line.
 
 
Silvia Palma
Assessoria de Imprensa
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »